F1: Ralf Schumacher acredita que posição de Horner não é sustentável na Red Bull

Apesar de Christian Horner ter sido inocentado das acusações de comportamento impróprio na investigação realizada pela própria Red Bull, o clima na equipe segue bastante conturbado. O ex-piloto de Fórmula 1, Ralf Schumacher, acredita que a situação é insustentável e pede a saída do chefe da equipe.

“Se já existe esse sentimento contra ele agora, a posição dele não é sustentável. Ele deveria realmente renunciar agora pelo bem da equipe”, afirmou Schumacher na Sky Sports alemã.

Enquanto a filial austríaca da Red Bull (empresa proprietária da Red Bull Racing) supostamente quer a saída de Horner, o proprietário tailandês, Chalerm Yoovidhya, prefere mantê-lo no cargo.

Schumacher também direcionou sua crítica ao dono da equipe: “Acho que o lado tailandês da Red Bull também deveria reconhecer isso agora. Não há sentido em manter Horner como está no momento.”

Yoovidhya detém 51% das ações da Red Bull, o que lhe confere grande poder de decisão.

Na segunda-feira à noite, Horner se reuniu com Raymond Vermeulen, empresário de Verstappen, em uma tentativa de apaziguar a relação com o piloto e sua família. As conversas teriam sido positivas, mas Max e Jos Verstappen não estiveram presentes, após a forte discussão entre Jos e Horner, além de ‘troca de farpas’ através da imprensa, após a discussão.

O futuro de Horner na Red Bull segue incerto, e as críticas de Ralf Schumacher refletem a instabilidade que a equipe enfrenta após as recentes polêmicas.