F1: Pirelli testa novos pneus para combater superaquecimento em 2025

A Pirelli está confiante de que uma nova linha de pneus, que será introduzida na Fórmula 1 em 2025, vai reduzir os problemas de superaquecimento que prejudicam algumas corridas.

Conforme as equipes se adaptaram ao novo regulamento de efeito solo, elas encontraram formas de aumentar o downforce e manipular melhor o fluxo lateral para melhorar o desempenho.

Porém, uma das consequências disso é que está ficando cada vez mais difícil para os pilotos seguirem uns aos outros, o que significa que os pneus podem superaquecer rapidamente se os carros começarem a deslizar na turbulência do rival à frente.

Muitos acreditam que este seja um fator que contribui para a dificuldade de ultrapassagens e o rápido distanciamento do pelotão nas corridas atuais, já que os pilotos precisam sair da turbulência do carro da frente para gerenciar melhor a temperatura dos pneus.

A Pirelli está ciente desse problema há algum tempo e realizou muitas análises para tentar descobrir a causa do superaquecimento e como solucioná-lo.

Testes com novos designs de pneus já aconteceram em Barcelona e Jerez, e a próxima bateria de testes será em Suzuka, após o GP do Japão.

Mario Isola, chefe de F1 e automobilismo da Pirelli, falou ao Motorsport.com sobre as melhorias planejadas. O foco no momento é em uma nova construção para lidar com o superaquecimento.

“No momento, estamos focados na construção com um maior nível de integridade”, disse Isola. “Será mais robusta, com novos materiais. Também estamos testando novos materiais para evitar o aumento de peso, pois o objetivo é manter o mesmo.”

“O próximo teste será em Suzuka, onde levaremos alguns desses novos compostos. Também tivemos outra ideia que testamos em Barcelona e Jerez, que também nos deu uma boa indicação sobre a redução do superaquecimento, pois era mais consistente. A nova construção pode ajudar a reduzir o superaquecimento ao fazer a área de contato do pneu funcionar melhor e distribuir melhor a pressão e a temperatura”, concluiu.

Enquanto o trabalho prático está acontecendo na pista para desenvolver a nova linha de pneus, Isola disse que a análise continua para tentar descobrir por que os problemas de superaquecimento dos pneus voltaram a ser um fator com os carros atuais de efeito solo.