F1: Piastri disse que largar na frente foi crucial para McLaren na Arábia Saudita

Oscar Piastri, da McLaren, acredita que largar na frente da Mercedes foi crucial para terminar a frente dos pilotos da equipe alemã no GP da Arábia Saudita de Fórmula 1.

Piastri se destacou no circuito de alta velocidade de Jeddah pela segunda temporada consecutiva, e se classificou à frente do companheiro de equipe Lando Norris, liderando a terceira fila da McLaren.

O australiano ultrapassou Fernando Alonso da Aston Martin nas primeiras voltas, e sua posição como líder da McLaren lhe permitiu fazer o pit stop durante o Safety Car na volta 7.

No entanto, Piastri ficou preso atrás de Lewis Hamilton, que demorou para parar, e não conseguiu ultrapassar o piloto da Mercedes, apesar de travar uma disputa roda a roda.

Com a McLaren preocupada com a falta de velocidade máxima em comparação com seus concorrentes, Piastri admite que a corrida de Jeddah confirmou as limitações do MCL38.

“Não tenho certeza se ‘divertido’ é a palavra que eu usaria”, disse ele sobre a disputa. “Frustrante, sim. Acho que mostrou algumas das nossas fraquezas, definitivamente. Eu fiquei aliviado quando Lewis entrou para o pit stop, mas simplesmente não tive o suficiente nas retas para ultrapassá-lo.”

Questionado sobre se ficou preocupado com o tempo perdido atrás de Hamilton, Piastri, que terminou em quarto, respondeu: “Não, porque ele ainda não havia parado. Eu esperava que ele parasse umas 15 voltas antes, mas acho que ele começou a sofrer com os pneus porque eu estava praticamente passando por ele quando ele entrou para o box. Então sim, acho que ele tinha que parar em algum momento. E aquele pareceu ser um bom momento para fazer isso.”

Piastri acredita que sua dificuldade para superar Hamilton, mesmo com a vantagem de pneus mais novos, mostrou que a posição na pista foi essencial para sua corrida. Enquanto isso, Hamilton não conseguiu usar a vantagem de velocidade da Mercedes nas retas contra Norris, pois perdeu muito tempo nas curvas de alta velocidade. Piastri afirmou que a luta acirrada entre McLaren e Mercedes está ‘muito, muito equilibrada nesta fase, pois há diferentes pontos fortes e fracos nos carros’.

“Acho que a sessão de classificação fez a diferença hoje”, continuou ele. “Acho que Lewis mostrou que, se nos classificássemos atrás deles, havia uma boa chance de ficarmos presos atrás deles a noite toda. Então, acho que está muito, muito apertado entre nós. E sim, precisamos trabalhar para tentar superá-los e alcançar as duas equipes à frente (Red Bull e Ferrari).”

O próximo GP no calendário da F1 levará Piastri de volta para casa com a corrida na Austrália, mas ele permanece realista sobre o potencial da McLaren. “Acho que é uma mistura. Um pouco mais de baixa velocidade do que aqui. Mas vamos ver”, disse ele. “Espero que possamos fazer uma boa corrida. Se há uma corrida do ano que você pode escolher para ter um bom desempenho, é a corrida em casa. Então, vamos tentar o nosso melhor. Mas acho que se pudermos terminar perto de onde terminamos esta noite (sábado passado), seria o máximo que podemos fazer”, finalizou Piatsri.