F1: Pai de Verstappen não vai para Jeddah devido ao conflito com Horner

Jos Verstappen, pai do atual campeão de Fórmula 1, Max Verstappen, decidiu não comparecer ao GP da Arábia Saudita neste próximo final de semana, devido às crescentes tensões entre ele e o chefe da equipe Red Bull, Christian Horner.

A decisão de Verstappen pai de se afastar, ocorre após comentários polêmicos sobre Horner, que recentemente enfrentou alegações de comportamento inadequado feitos por uma funcionária da equipe, posteriormente descartadas (por uma investigação feita pela própria Red Bull, com o auxílio de um advogado externo). O ambiente tenso na equipe foi evidenciado por uma acalorada discussão entre Verstappen Sr. e Horner na noite de sexta-feira, seguido por um pedido de desculpas.

Em uma entrevista após a vitória dominante de Max Verstappen no Bahrein, Jos afirmou que a Red Bull está ‘à beira da explosão’ se as controvérsias não forem resolvidas de maneira correta e transparente. Ele afirmou: “O time está em perigo de se desintegrar. Não pode continuar assim. Vai explodir. Ele (Horner) está se fazendo de vítima, quando é ele quem está causando problemas”.

Jos negou ser a fonte do vazamento de um email, que mostraria as conversas por WhatsApp entre Horner e a funcionária que o acusou, e teria indicado a amigos que seu filho poderia deixar a Red Bull se Horner permanecer no cargo. Essa especulação levanta a possibilidade de Max Verstappen fazer uma mudança surpreendente para a Mercedes, substituindo Lewis Hamilton, que ingressará na Ferrari em 2025.

Ao ser questionado sobre essa possibilidade, o chefe da Mercedes, Toto Wolff, respondeu: “Tudo é possível”.

Horner, por sua vez, demonstrou confiança em sua permanência no cargo durante a temporada de 2024, apesar das turbulências recentes. Ele afirmou: “Sempre estive totalmente confiante de que estaria aqui. Houve um processo interno extenso, concluído por uma entidade independente. As alegações foram descartadas. Fim. Seguimos em frente”, encerrou o chefe da Red Bull.