F1: Norris renovou com a McLaren confiando na evolução da equipe

Em uma decisão que surpreendeu algumas pessoas no paddock da Fórmula 1, Lando Norris anunciou a renovação de seu contrato com a McLaren, pondo fim às especulações sobre uma possível mudança para a Red Bull Racing. O britânico, que ainda tinha mais de dois anos em seu contrato anterior, optou por garantir sua permanência na equipe de Woking.

Falando à Sky Sports no amplo complexo da McLaren, Norris explicou sua escolha: “Sempre há conversas de tempos em tempos. Não vou mentir e dizer que não, você sabe. Sempre há pequenas discussões, você conversa com as pessoas e vê o que poderia oferecer. Nunca foi além disso.”

O jovem piloto destacou a importância de dissipar os rumores que circulavam na mídia: “Sempre houve coisas na mídia e histórias sendo escritas. Isso não é o melhor para todos aqui na fábrica. Se você está trabalhando para fazer uma peça que estará no meu carro e vê ‘Norris tem ligações com tal lugar’, nunca é a melhor coisa de se ver. Então pelo bem da equipe, acho que é por isso que queríamos fazer isso agora. Apenas para acabar com esses rumores.”

Questionado sobre a possibilidade de ingressar na Red Bull, Norris repondeu: “Acho que, se olharmos para onde terminamos no ano passado, houve corridas suficientes onde, considerando que estamos falando do carro mais competitivo e bem-sucedido na história da Fórmula 1 ao longo de uma temporada, acho que você precisa incluir o piloto nisso também. O quão perto chegamos em certos lugares com relação ao início da temporada foi bastante impressionante, sabe? Passar de fora dos pontos em cada corrida para ser provavelmente a equipe mais próxima, em média, do carro mais bem-sucedido que já existiu na F1”, disse ele.

Norris enfatizou sua confiança na capacidade da McLaren em desafiar os atuais líderes da categoria. “Acho que isso mostrou para mim e para todos aqui na McLaren, que temos o que é preciso para desafiá-los, e portanto quero criar meu próprio capítulo. Minha própria história com a McLaren”, encerrou o britânico.