F1: Hulkenberg afirma que agora Bearman tem pressão extra na Fórmula 2

O piloto da Haas, Nico Hulkenberg, afirmou que o bom desempenho de Oliver Bearman na estreia pela Ferrari no GP da Arábia Saudita de Fórmula 1, pode trazer consequências inesperadas. Apesar de pontuar logo de cara em P7, o britânico agora enfrenta uma pressão adicional na luta pelo título na F2, categoria onde corre atualmente.

Bearman foi chamado às pressas para substituir Carlos Sainz, que precisou se submeter a uma cirurgia de apendicite na Arábia Saudita. O jovem piloto impressionou ao entrar no carro apenas no TL3 e terminar a corrida em sétimo, subindo quatro colocações em relação ao grid de largada.

Hulkenberg, um dos pilotos que Bearman precisou ultrapassar, brincou com a situação: “Não sei porque demorou tanto para ele me passar, foram cinco voltas! No ano passado, ele já mandou bem no México e em Abu Dhabi. Acho que fez um bom trabalho em Jeddah também, pilotou bem, sem erros”, disse o alemão se referindo também à experiência anterior de Bearman na Fórmula 2.

No entanto, o experiente alemão jogou um balde de água fria na empolgação. “Afinal, ele estava no segundo melhor carro do grid. Dá para ver o quanto isso é importante e a diferença que faz. Foi um pouco duro para todos do meio do pelotão, inclusive para nós, mas é assim que as coisas são.”

Ao ser questionado sobre o inesperado da convocação ter influenciado no bom desempenho de Bearman, Hulkenberg respondeu: “Ele já correu em Jeddah na F2 ano passado, fez a sessão de classificação e acho que também fez bastante simulador no carro de F1. Pareceu que se sentiu em casa rapidamente e estava bem preparado.”

O desempenho de Bearman gerou especulações sobre uma vaga na F1 em 2025. Com a ligação da Haas com a Ferrari, o destino mais provável seria a equipe americana, no lugar do próprio Hulkenberg ou de seu companheiro Kevin Magnussen.

Perguntado se se via em uma disputa para permanecer no grid, o alemão foi cauteloso: “Acho que é cedo demais para dizer isso. Ele tem um grande desafio pela frente na F2 primeiro. Se não se sair bem lá, a corrida em Jeddah será esquecida em dois dias. Então, na verdade, acho que a pressão agora é para ele entregar bons resultados na Fórmula 2”, finalizou o piloto alemão.