F1: Hill questiona aumento dos circuitos de rua no calendário

O aumento de circuitos de rua no calendário da Fórmula 1 a partir de 2026, com a chegada de Madrid, levantou questionamentos do ex-piloto e campeão de 1996, Damon Hill. Para o britânico, a tendência poderia ser uma resposta às dificuldades previstas com os novos motores.

Hill afirmou: “O que eu posso acrescentar sobre o anúncio de Madrid, é que temos novos regulamentos de motor chegando, e então fala-se das dificuldades que eles terão para extrair desempenho consistente dos carros”, afirmou Hill no podcast da Sky F1.

Com a eficiência energética como foco, os motores de 2026 prometem dividir a potência 50/50 entre combustão interna e elétrica, com um limite total de 1000bhp. No entanto, testes virtuais apontam problemas na recuperação de energia nas retas.

Apesar de o diretor de monopostos da FIA, Nikolas Tombazis, considerar quaisquer críticas prematuras, o chefe técnico da Red Bull, Pierre Wache, afirmou que a aerodinâmica ativa seria apenas uma solução temporária. Diante da redução prevista da velocidade em reta, Hill se questiona se a guinada para mais circuitos de rua é uma consequência disso.

Hill continuou: “A Fórmula E escolheu ter suas corridas em centros urbanos e circuitos restritos. Espero que isso não seja uma indicação de concessões feitas ao fato de que esses carros terão desempenho inferior ao atual”, ponderou.

Apesar do receio, Hill não se opõe à evolução do esporte e se mostra otimista em relação a Madrid. No entanto, ele defende o equilíbrio com os circuitos clássicos. “Preciso ser claro: gosto do esporte e de suas evoluções. Mas a F1 precisa se adaptar tanto às demandas das montadoras quanto às questões ambientais. Espero que a corrida em Madrid seja emocionante, mas o mais importante é que as corridas sejam boas e os carros possam competir bem”, acrescentou.

“Em Las Vegas, tivemos Max Verstappen irritado falando sobre a natureza dos circuitos. No geral, ter um circuito perto de um grande centro urbano é positivo, mas também precisamos manter os Spas”.

O ex-piloto ressalta que, historicamente, o automobilismo nasceu nas ruas. “Muitas corridas da F1 ou do esporte a motor começaram em estradas simples. Madrid é como um circuito sob medida dentro de uma cidade, mas é assim que o automobilismo começou. Pistas fechadas como Barcelona são uma invenção relativamente nova”, concluiu.