F1: Hamilton pronto para encarar desafio na Ferrari mesmo sem pessoas conhecidas ao redor

Lewis Hamilton se declarou preparado para chegar sozinho na Ferrari a partir da temporada 2025 da Fórmula 1, descartando a necessidade de ter companheiros de longa data da Mercedes ao seu lado.

O piloto britânico agitou o mercado da F1 no início da atual temporada, ao anunciar que ativou uma cláusula em seu contrato com a Mercedes para se transferir para a Ferrari no próximo ano.

A Ferrari também contratou recentemente Loic Serra, chefe de engenharia de performance de chassi, e Jerome d’Ambrosio, vice-chefe de equipe, ambos vindos da Mercedes. Isso motivou rumores de que outros membros da Mercedes poderiam seguir Hamilton para Maranello, incluindo seu experiente engenheiro de corrida, Peter Bonnington.

No entanto, Hamilton citou sua mudança da McLaren para a Mercedes em 2013, como prova de que não depende de trazer sua própria equipe para acelerar o processo de adaptação.

“Quando cheguei na Mercedes, não conhecia ninguém. E tudo correu bem”, disse ele. “Então, pessoalmente, não acho que isso faça uma grande diferença para mim. Obviamente, trabalhei com Loic por muitos anos. Temos uma ótima relação de trabalho. E meu primeiro número dois, Jock (Clear), está na Ferrari também. Então, esses são os únicos dois que eu conheço particularmente bem, além de Fred (Vasseur)”, acrescentou.

Hamilton tem falado abertamente sobre seu relacionamento anterior com Vasseur, que fundou a equipe ART Grand Prix, onde conquistou o título da GP2 em 2006, como então piloto novato, Hamilton.

“Trabalhei com Fred quando era jovem na Fórmula 3 e na GP2. Naquela época, não me lembro de ter passado muito tempo com ele especificamente. Você fica mais com os mecânicos nos finais de semana. Mas temos uma boa amizade e ele é outro grande líder no esporte”, acrescentou.

O heptacampeão afirmou no mês passado que precisaria conversar em breve com o chefe da Mercedes, Toto Wolff, sobre como lidar com sua mudança para a Ferrari.

“Em algum momento, terei que conversar com Toto”, disse ele. “Não sei como tratar disso. Nunca estive nessa posição antes, a essa altura do ano. Quando saí da McLaren, foi no final da temporada. Acho que só fui para a Mercedes em dezembro, e meu primeiro ajuste de banco foi depois que a temporada acabou. Imagino que seja a mesma coisa agora”, finalizou Hamilton.