F1: Hakkinen aponta Mercedes em momento crítico para temporada de 2024

Mika Hakkinen acredita que a Mercedes está atualmente “em uma encruzilhada”, com apenas uma vitória em duas temporadas tendo “deixado sua marca” na equipe. A Mercedes terminou em segundo no Campeonato de Construtores após uma disputa acirrada com a Ferrari ao longo de 2023, mas não conseguiu superar a Red Bull nos domingos, já que a equipe venceu 21 das 22 corridas da última temporada.

Hakkinen acredita que a Mercedes “precisa se tornar uma equipe novamente” antes do novo ano, após duas temporadas magras para os seus altos padrões. Trabalhando duro nos bastidores no W15, o bicampeão mundial Hakkinen acredita que há um “ponto de interrogação” pairando sobre a equipe até que eles possam voltar a vencer.

“Mercedes está em uma encruzilhada”, disse Hakkinen à publicação alemã BILD. “Há um ponto de interrogação maior sobre a equipe do que há muito tempo. Após uma década de sucesso, as últimas duas temporadas deixaram sua marca na gestão e na equipe. E isso é bom! Agora você tem que ficar com raiva. Você tem que desenvolver essa vontade incondicional de vencer novamente. A equipe tem que se tornar uma equipe novamente, desenvolver esse entendimento cego. Isso está faltando atualmente.”

Quando perguntado de que maneira ele sente que isso está faltando na equipe, Hakkinen acredita que a Mercedes ainda gira em torno de seu sete vezes Campeão Mundial. “Mesmo que George esteja entrando em sua terceira temporada como piloto da Mercedes, está claro que é a equipe de Lewis”, explicou. “Ele está dirigindo lá desde 2013 e trabalhou com muitos dos engenheiros e mecânicos por anos.”

Ele aponta que não leva dez minutos de análise para Hamilton explicar o problema. Na Fórmula 1, pequenas coisas como essa acabam decidindo se você está na pole position ou não.

Quando lembrado do fato de que Russell superou Hamilton em sua primeira temporada juntos, Hakkinen também apontou que os papéis se inverteram em 2023. Embora ambos os pilotos tenham assinado novos contratos com a equipe até 2025, ele acredita que o jovem britânico está “sob imensa pressão” para entregar ao lado de Hamilton.

“Isso é verdade”, disse ele quando lembrado do desempenho de Russell em 2022 contra Hamilton. “Mas na última temporada, Hamilton terminou em terceiro e Russell apenas em oitavo. Isso não me surpreendeu. Por um lado, Lewis queria mostrar a todos depois que já havia falado do crepúsculo dos deuses, e por outro lado, George estava e ainda está sob imensa pressão. Quando você é o companheiro de equipe de um sete vezes Campeão Mundial, todos os olhos estão automaticamente em você. Não importa se você terminou no pódio se seu companheiro de equipe ganhou. É o mesmo para todas as equipes – mas George está correndo contra um campeão recordista.”