F1: Funcionária suspensa pela Red Bull no caso Horner se sente injustiçada

A saga envolvendo Christian Horner e a Red Bull Racing continua. Após uma investigação interna, a Red Bull concluiu que Horner não era culpado de comportamento inadequado. No entanto, a mulher que acusou o chefe da equipe, acredita que a empresa não a tratou de forma justa.

Em uma breve mensagem, a Red Bull informou que Horner foi considerado inocente. Essa mensagem não mencionou nada sobre seu futuro. Posteriormente, a Red Bull suspendeu a mulher que fez a denúncia. A equipe não quis comentar mais nada sobre o assunto, aliás como fez desde o começo, não dando nenhum detalhe sobre os acontecimentos, o que causou um sentimento generalizado no paddock da Fórmula 1, de falta de transparência por parte da Red Bull.

Um amigo da referida funcionária, falou ao DailyMail sobre como ela está agora. “Ela está muito decepcionada com tudo isso, especialmente porque ela fez tudo corretamente. Ela levantou suas preocupações em particular e fez tudo certo, mas ela se sente muito desapontada com a empresa. Eles a suspenderam quando ela seguiu o processo adequado diligentemente e corretamente. A falta de apoio é evidente e ela está muito desapontada com o tratamento do empregador. Olhe o que aconteceu. Ela reclamou que houve uma investigação sem transparência, Horner foi inocentado e ela foi então suspensa.”

Segundo esse amigo, muitas perguntas precisam ser feitas à Red Bull sobre a investigação. “Quem na Red Bull foi encarregado de estabelecer os fatos? Quem na Red Bull teve acesso a todo o material confidencial que foi usado? Quem na Red Bull está tomando todas essas decisões, e quem na Red Bull está fazendo esforços para estabelecer a origem desses vazamentos? Ela simplesmente não consegue superar o fato de ter feito uma reclamação e ter sido suspensa. Tudo o que ela quer é transparência no processo”, disse o amigo anonimamente. Segundo ele, a funcionária suspensa da Red Bull tem recebido várias ofertas para contar sua história, mas decidiu mantê-la privada, pelo menos por enquanto.