F1: De pupilo a rival: o conselho de Wolff a Vowles no comando da Williams

James Vowles, atual chefe de equipe na Williams, revelou o inusitado conselho que Toto Wolff, seu ex-chefe na Mercedes, lhe deu ao aceitar o desafio de liderar a tradicional equipe britânica de Fórmula 1.

Após oito anos contribuindo para o domínio da Mercedes na Fórmula 1, Vowles assumiu o comando da Williams, equipe em reconstrução após vários anos difíceis. Em entrevista ao podcast ‘High Performance’, ele contou o que Wolff lhe disse: “Acho que ele disse: ‘Não seja um merda’, foi o seu conselho! E é o que estou tentando fazer.”

Mesmo com esse tom informal, Vowles ressalta que sempre admirou a liderança de Wolff e se preparou por muito tempo para este momento: “Ele sabe que eu vinha me preparando para isso há um tempo, então não havia muito que ele pudesse me dizer além disso”, afirmou.

Vowles também destacou o aprendizado e a confiança que recebeu de outros chefes de equipe como Fred Vasseur (Ferrari) e Otmar Szafnauer (ex-Alpine), com quem mantém contato mesmo como adversários.

No entanto, Vowles reconhece a importância do mentorismo de Wolff: “Toto foi gentil o suficiente para me dar o máximo de experiência que podia. Isso não significa que eu tinha um emprego garantido na Mercedes como chefe de equipe, mas ele me deu seu tempo, conhecimento e experiência, e me confiou mais responsabilidades.”

O ex-estrategista da Mercedes descreve sua ascensão na equipe alemã, passando por funções com pilotos de simulador, carros de GT3, até a Fórmula E e o controle de custos. “É claro que você não pode fazer tudo de uma vez, então construí uma equipe para cuidar da estratégia, para que eu pudesse me concentrar em crescer”, concluiu.

Com a bagagem da Mercedes e o foco na construção de uma nova Williams, Vowles assumiu o desafio de transformar a equipe e reviver o legado histórico da equipe inglesa. O conselho de Wolff, embora irreverente, resume a expectativa, pois não basta liderar, é preciso fazer isso com excelência.