F1: Coulthard discorda das penalidades recebidas por Magnussen em Jeddah

David Coulthard, ex-piloto com 13 vitórias na Fórmula 1, manifestou críticas às decisões de penalidades da FIA envolvendo Kevin Magnussen no GP da Arábia Saudita no último final de semana. Magnussen, piloto da equipe Haas, recebeu duas penalidades de 10 segundos durante a corrida, mas Coulthard considerou as punições excessivamente severas.

A primeira penalidade foi atribuída após um incidente com Alex Albon, onde Magnussen fechou a porta de forma agressiva, resultando em contato entre os carros. Coulthard, comentando para o Channel 4, opinou que a penalidade deveria ter sido de apenas cinco segundos, pois Magnussen talvez tenha subestimado a intenção de Albon.

Já a segunda penalidade ocorreu quando Magnussen deixou a pista para ganhar vantagem ao ultrapassar Yuki Tsunoda. Coulthard discordou da decisão de aplicar um tempo de penalidade, sugerindo que seria mais apropriado ordenar a devolução da posição.

O ex-piloto também destacou a estratégia polêmica da Haas, onde Magnussen foi usado para atrasar Tsunoda (e váios outros carros), permitindo que seu companheiro de equipe Nico Hulkenberg ganhasse tempo suficiente para fazer seu pit stop e sair à frente do grupo de carros, garantindo assim um P10 no final da corrida. A manobra rendeu à Haas a sexta posição nas primeiras classificações do Campeonato de Construtores em 2024.

Algumas equipes, insatisfeitas com a atitude da Haas e de Magnussen, prometeu levar o comportamento ‘antidesportivo’ à FIA. Coulthard concluiu que, apesar das penalidades, Magnussen ajudou a garantir um ponto para a equipe Haas (de Hulkenberg), impulsionando sua posição na classificação.