F1: “Como ficará Lewis”, questiona ex-piloto caso a Mercedes supere a Ferrari em 2024

A bomba da semana no mundo da Fórmula 1, foi a confirmação da transferência de Lewis Hamilton da Mercedes para a Ferrari a partir de 2025. Mas um grande ponto de interrogação permanece: Qual o real motivo da saída do piloto da equipe alemã, onde construiu sua jornada de enorme sucesso desde 2013?

Uma justificativa mais imediata é a busca por um carro com maior competitividade e chances de título. Porém, talvez exista outro fator crucial por trás da decisão do heptacampeão.

A saída de Loic Serra da Mercedes também ganha destaque nas análises. O ex-diretor de performance da Mercedes, que recentemente migrou para a Ferrari como chefe de performance de veículos, teria sido contra o conceito ‘zero sidepod’ da Mercedes, que foi usado em 2022 e início de 2023. Com o carro não rendendo como esperado, a imprensa alega que Hamilton confiava muito na visão de Serra.

Enquanto isso, Mike Elliott, idealizador do ‘zero sidepod'”, já deixou a equipe, e James Allison assumiu o comando da engenharia. Diante desse cenário, o ex-piloto de F1 e atual comentarista, Karun Chandhok, levanta uma questão intrigante: “Se a influência de Allison resultar em uma temporada dominante da Mercedes em 2024, como ficará a cabeça de Lewis? Ele terá tomado a decisão errada?”

Não é a primeira vez que Hamilton surpreende com uma transferência ousada. Ele deixou a McLaren rumo à Mercedes em 2013, para ceticismo geral. Na época, a equipe alemã era mediana, e Hamilton já havia sido campeão com a McLaren. No entanto, a Mercedes provou ao britânico que seu projeto ambicioso daria frutos.

“No final de 2012, foi genial dele sair da McLaren e chegar na Mercedes no momento certo. É uma atitude corajosa, e isso é ótimo para o esporte. Aumenta a expectativa e estou feliz que ele tenha feito isso. Mal posso esperar para ver como tudo vai se desenrolar”, concluiu Chandhok.