F1: “Circuito ultraperigoso”, disse Juncadella sobre traçado em Madrid

Foi confirmado na semana passada que o GP da Espanha de Fórmula 1 será realizado nas ruas de Madrid a partir da temporada 2026, porém o traçado que foi proposto não está agradando a todos. O ex-piloto reserva da Force India (atual Aston Martin), que corre atualmente no DTM, Daniel Juncadella, chamou o circuito de ‘ultraperigoso’ e ‘com nenhuma chance de ultrapassagem’.

O circuito de 20 curvas e 5,474 km, que passa ao redor do Centro de Exposições IFEMA, ainda depende de homologação da FIA e não é definitivo. Mas Juncadella já comparou o traçado madrilenho, a pistas criticadas nos últimos anos, como Miami, Las Vegas e Sochi.

“Não falo o que penso do circuito, porque iriam me levar preso. Ok, eu digo: ‘Que m…a’,” escreveu Juncadella depois de uma simulação de volta virtual no possível circuito de Madrid, completando com um emoji nada positivo. Em seguida, ele explicou melhor sua opinião: “Sem chance de ultrapassagem. Traçado ultraperigoso. Filosofia Miami, Vegas, Sochi… não gostei. Felizmente, este ainda não é o traçado definitivo.”

O espanhol ainda minimizou a importância da chegada da F1 a Madrid e criticou a ex-prefeita de Barcelona, Ada Colau. “O GP ir para Madri? Não poderia me importar menos. Ada Colau vem plantando pânico entre turistas há anos.”

Juncadella, porém, manifestou o desejo de ver o retorno da F1 ao seu antigo lar na Espanha: o circuito de Jarama, que sediou corridas até 1981.

“Eu adoraria ver o GP de volta ao circuito de Jarama. Seria o melhor. Mas conversando com pessoas que conhecem a situação do circuito e do entorno, sei que é algo impensável”, concluiu.

O debate em torno do traçado de Madrid promete continuar até a sua versão final e homologação pela FIA. A expectativa é que a corrida traga emoção à F1, mas, por enquanto, a palavra ‘perigo’ ecoa nos bastidores.