F1: Chefes de equipe comentam investigação sobre presidente da FIA

Alguns chefes de equipe da Fórmula 1 expressaram suas opiniões sobre a investigação da FIA em relação ao presidente da organização, Mohammed Ben Sulayem, na mais recente saga fora das pistas em que a categoria se viu envolvida.

Ben Sulayem foi acusado por um denunciante em 04 de março deste ano, de ter interferido na decisão dos comissários de corrida durante o GP da Arábia Saudita em 2023. Fernando Alonso foi inicialmente penalizado com dez segundos por uma infração nos boxes naquela corrida, porém a penalidade doi retirada e o espanhol recuperou o P3 que havia perdido devido à penalização recebida. Segundo a denúncia, o pedido da retirada da penalidade sobre o espanhol teria partido de Ben Sulayem.

Além disso, uma outra acusação, diz que Ben Sulayem teria instruído funcionários da FIA a não certificarem o circuito para o GP de Las Vegas antes de sua estreia no ano passado. Neste caso, o pedido do presidente da FIA não teria sido atendido e o circuito foi homolgado para a realização do GP. Os motivos que teriam levado Ben Sulayem a fazer essas duas solicitações são desconhecidos, pelo menos por enquanto.

Durante a coletiva de imprensa dos chefes de equipe na Arábia Saudita, Bruno Famin, chefe da Alpine, disse: “Devemos realmente ser capazes de nos concentrar no que acontece na pista com nosso esporte.”

James Vowles, chefe da Williams, afirmou, que assim como o público em geral e a grande mídia, ele ficou sabendo das acusações contra o presidente da FIA, e a confirmação de uma investigação sobre os dois casos, ao ler as reportagens sobre o assunto, acrescentando que ficou ‘satisfeito em ver que há uma investigação acontecendo para averiguar tudo’, o que ele considerou ‘a coisa certa a fazer’.

Mike Krack, chefe da equipe Aston Martin, observou que, do ponto de vista da equipe sediada em Silverstone, o caso (sobre o GP da Arábia Saudita em 2023) está encerrado.

O chefe da Red Bull, Christian Horner, pediu que as pessoas não tirem conclusões precipitadas e enfatizou a importância de esperar pelos fatos antes de julgar qualquer coisa, talvez se referindo também ao seu próprio caso, que vem causando bastante polêmica.

Já Toto Wolff, chefe da Mercedes, pediu transparência na investigação que a FIA está realizando para averiguar essas duas situações envolvendo Ben Sulayem.