F1: Chefe da RB diz que parceria com Red Bull está dentro do regulamento

O chefe da RB, Laurent Mekies, defendeu a colaboração de sua equipe com a Red Bull em meio a críticas de rivais como McLaren, Ferrari e Mercedes.

Após a AlphaTauri se tornar Visa Cash App RB (ou simplesmente RB) no início do ano, a equipe passou a adotar a suspensão traseira da Red Bull, o que a ajudou a subir para o oitavo lugar na temporada do ano passado da Fórmula 1.

Embora a RB tenha herdado a suspensão dianteira da Red Bull e se mudado para a base da equipe principal em Milton Keynes, surgiram questionamentos sobre a legalidade da parceria.

Mekies, que substituiu o aposentado Franz Tost após o final da temporada 2023, afirmou que a FIA esclareceu a legalidade da operação da RB. “Operamos 100% dentro do regulamento e tomamos todas as precauções para que a FIA não tenha dúvidas”, afirmou.

Ele também negou que a contratação de engenheiros da Red Bull, como Guillaume Cattelani, tenha o objetivo de driblar as regras de compartilhamento de dados. “Os regulamentos são claros: a movimentação de pessoal não pode ser usada para contornar as regras de propriedade intelectual.”

O chefe da equipe também rebateu as alegações de Zak Brown (CEO da McLaren), de que a existência de um limite de orçamento torna desnecessária a posse de duas equipes por uma mesma organização. “Os vínculos mais fortes com a Red Bull, visam nos tornar mais independentes no futuro”, argumentou Mekies. “Estamos expandindo a equipe e a infraestrutura para sermos mais autônomos, pois é assim que nos tornaremos mais rápidos”, concluiu.

Mekies acredita que proibir a propriedade de duas equipes seria prejudicial ao esporte, e que as regras atuais ajudam a manter a competitividade do grid.