F1: Chefe da Aston Martin fala em atualizações já na Arábia Saudita

O chefe da Aston Martin, Mike Krack, afirmou que sua equipe pretende replicar as grandes equipes da Fórmula 1 com a introdução de atualizações regulares para eliminar possíveis fraquezas.

A equipe sediada em Silverstone começou a temporada passada conquistando pódios, mas perdeu rendimento com o avanço das atualizações feitas pelos outros times ao longo do ano. A Aston Martin havia frisado que sua principal ambição com o carro de 2024, era montar uma plataforma sólida que pudesse ser aprimorada ao longo da temporada.

Fernando Alonso ficou em P9 e Lance Stroll em P10 no Bahrein, e Krack já indicou que a Aston Martin tem atualizações promissoras para serem implementadas em breve, e revelou que a equipe introduzirá algumas pequenas novidades neste próximo final de semana na Arábia Saudita.

“Vemos o desenvolvimento”, disse Krack ao Autosport. “O que acontece na primeira corrida não é o mesmo que está em desenvolvimento, que está mais adiante. E vemos um desenvolvimento encorajador lá. Então isso me deixa confiante. Para Jeddah, teremos algumas pequenas atualizações para melhorar o carro. Esperamos estar mais próximos”, disse ele.

Krack prefere ser cauteloso sobre o ganho no tempo de volta que pode ser obtido com essas atualizações, mas destacou como a Aston Martin pretende ser agressiva em relação ao desenvolvimento em 2024.

“Em Jeddah, se é grande ou não (a atualização), essa é uma questão diferente”, acrescentou. “Os carros nunca permanecem iguais de uma corrida para a outra. Cada equipe está mudando coisas. Cada equipe está otimizando o tempo todo. Talvez nem todas as equipes, mas acho que certamente as grandes equipes, elas sempre modificam, tentam eliminar fraquezas o mais rápido possível. E nós tentamos fazer o mesmo.”

“O objetivo desde o início era pontuar com ambos os carros”, disse ele sobre o desempenho da Aston Martin na corrida de abertura em 2024. “Dissemos que esse realmente tinha que ser o objetivo. E nós conseguimos isso. Então, missão cumprida, mas obviamente gostaríamos de ter mais pontos. É cedo. Tentamos realmente conseguir um equilíbrio decente para corridas curtas e longas ao longo dos três dias. Mas acho que é uma base muito boa”, finalizou o chefe da Aston Martin.