F1: Brown acredita que a categoria será mais equilibrada em 2024

O domínio avassalador de Max Verstappen na Fórmula 1 em 2023, com 19 vitórias em 22 corridas e o título decidido com bastante antecedência a seu favor, pode sugerir que a categoria caminha para uma era de hegemonia do holandês. Mas Zak Brown, CEO da McLaren e figura presente tanto na F1 quanto na IndyCar, acredita que o futuro da principal categoria do automobilismo mundial segue em direção a uma disputa mais acirrada, semelhante à competitividade na Indy.

“Se olharmos para os tempos de classificação, mesmo as equipes em nono e décimo estão ameaçando o Q3”, afirmou Brown. “Para o campeonato, provavelmente serão os mesmos protagonistas, mas acredito que a F1 vá se tornar mais competitiva.”

O CEO da McLaren traça um paralelo com a IndyCar, onde sete pilotos diferentes venceram corridas em 2023 e o campeão Alex Palou não foi favorito constante. Brown enxerga a F1 caminhando para um cenário similar, com diversos postulantes à vitória a cada corrida.

“Se Max tivesse escorregado em uma casca de banana, o campeonato teria sido totalmente diferente. Vários pilotos subiram ao pódio e terminaram em segundo. Estou prevendo que isso se aproxime e será ótimo para a categoria. Não teremos esse nível de domínio e teremos sete, oito pilotos que podem vencer a qualquer momento. Isso será incrível para a F1 e acho que é para onde estamos nos dirigindo”, disse ele.

Embora Red Bull tenha conquistado 21 das 22 vitórias em 2023, cinco equipes diferentes subiram ao pódio (McLaren, Ferrari, Aston Martin, Mercedes e Alpine). As estatísticas de qualificação confirmam a afirmação de Brown sobre a proximidade do grid. Sean Kelly, chefe de estatísticas da F1, destacou no podcast ‘The Race F1 Podcast’ que a categoria apresenta atualmente o grid mais equilibrado da história.

Apesar do otimismo, Brown reconhece o desafio de alcançar Red Bull: “Estamos meio que lá agora, a menos que Max e a Red Bull continuem fazendo o que estão fazendo. Todo mundo o alcançou em algum momento durante um final de semana, então não acho que ninguém esteja muito longe. Mas novamente, não sabemos quando a Red Bull parou de desenvolver o RB19”, finalizou Brown.

No entanto, o desempenho forte de Ferrari, Mercedes e Aston Martin em alguns momentos, somado ao bom crescimento da McLaren, alimentam a expectativa de Brown por uma convergência para um grid mais equilibrado em 2024. Se isso realmente se confirmar, a era de domínio de Verstappen na F1 pode estar com os dias contados.