F1: Alpine já iniciou conversas sobre contratos com seus pilotos

A equipe Alpine revelou que já iniciou conversas preliminares sobre renovação de contrato com seus pilotos, Esteban Ocon e Pierre Gasly, antes mesmo da notícia bombástica da transferência de Lewis Hamilton para a Ferrari na temporada 2025 da Fórmula 1.

Com a permanência de todas as duplas de pilotos na temporada 2024, o mercado para 2025 já começou agitado com a notícia de Hamilton na Ferrari. Isso abre uma vaga na Mercedes no próximo ano, e Ocon, com histórico na equipe alemã, surge como potencial substituto.

Ambos os pilotos da Alpine possuem contratos válidos até o final deste ano, mas o chefe da equipe, Bruno Famin, garante que estão satisfeitos com a dupla atual. “Não esperamos a ida de Hamilton para a Ferrari para conversar com nossos pilotos. Estamos conversando com eles atualmente”, declarou Famin na apresentação do carro de 2024 da Alpine. “Estamos muito felizes com o relacionamento, a comunicação e o trabalho que eles estão fazendo.”

Mesmo assim, Famin deixou claro que nenhuma decisão sobre o futuro dos pilotos será tomada tão cedo, já que a prioridade da Alpine é se recuperar da temporada decepcionante no ano passado. “Estamos nisso, mas ainda não há nenhuma decisão. Nossa prioridade está muito mais focada em desenvolver o carro e a equipe, e estamos confiantes em nossos pilotos”, acrescentou.

Enquanto os rumores sobre o futuro de Ocon na Mercedes continuam circulando, Famin ressaltou a ligação de Mick Schumacher, piloto reserva da Mercedes, com a marca alemã, mas afirmou não saber se o alemão está na lista para ser companheiro de George Russell em 2025. “Não sei se Mick tem uma oportunidade real, tem que perguntar isso para Toto (Wolff, chefe da Mercedes). Não sei se ele está na lista, para ser honesto, vamos ver. Vamos falar sobre isso mais tarde”, finalizou Famin.

A Alpine aproveitou o lançamento do novo carro, o A524, para também apresentar o modelo que será pilotado por Mick Schumacher no Campeonato Mundial de Endurance (WEC). Fica a dúvida para a próxima temporada: a equipe francesa conseguirá segurar sua dupla atual com as atuais movimentações do mercado, ou veremos mudanças significativas no grid em 2025?