F1: Alonso vê progresso, mas aponta falta de ritmo da Aston Martin

Fernando Alonso acredita que a Aston Martin ainda está atrás em três décimos da McLaren e da Mercedes, apesar do progresso no GP da Arábia Saudita de Fórmula 1.

Alonso se classificou em uma promissora sexta posição no Bahrein, mas caiu para um distante nono lugar na corrida, alegando que teve um desempenho acima do potencial do carro em uma única volta.

Embora tenha feito outro grande esforço para largar em quarto em Jeddah, o espanhol admitiu estar preocupado com o ritmo da Aston Martin em longas passagens.

“Sim, estou definitivamente feliz”, disse Alonso. “Feliz com o resultado da corrida na frente de ambas as Mercedes, uma McLaren e uma Ferrari. É o máximo que podemos desejar no momento. Vimos novamente na corrida que ainda perdemos 2 ou 3 décimos para Mercedes e McLaren, e talvez um pouco mais para Red Bull e Ferrari. Nos treinos, parecíamos bem próximos, então sim, precisamos continuar trabalhando no ritmo de corrida.”

O medo de Alonso de cair na classificação, como aconteceu no Bahrein, aumentou quando Oscar Piastri passou por sua Aston Martin nas voltas finais. O bicampeão então perguntou sobre o ‘Plano B’ pelo rádio da equipe, pois estava sob pressão de George Russell da Mercedes.

“Foi estressante porque eu estava forçando e o Oscar estava se afastando, e George estava significativamente mais rápido atrás, então eu estava pensando: ‘OK, são 43 voltas para o final depois do Safety Car’. No TL2 normalmente fazemos 9 ou 10 voltas no treino longo, então fazer 42 foi, digamos, um território desconhecido em termos de vida útil dos pneus. Então sim, eu só queria ter certeza de que a estratégia continuava sendo uma parada e não mudaríamos o plano”, finalizou o espanhol.