Chandhok propõe motores mais barulhentos na F1

Enquanto a Fórmula 1 se prepara para novos regulamentos a partir de 2026, o ex-piloto da categoria, Karun Chandhok, defendeu um retorno aos potentes e barulhentos motores V8 ou V10, além de carros mais leves.

Chandhok critica a decisão tomada em 2014 de abandonar os V8s para os atuais V6 híbridos turbo de 1.6 litro, afirmando que a categoria perdeu seu rugido característico. “Honestamente, isso me irrita!”, disse o indiano ao ver um vídeo de Fernando Alonso pilotando um Renault R25 V10 em Abu Dhabi.

Lewis Hamilton, presente no vídeo, confessou: “Esse som é simplesmente o melhor de um carro de corrida. Odeio que tenham se livrado dele.” O designer Mark Lane, que compartilhou o vídeo, questionou: “O que aconteceu com nosso esporte?”

Para Chandhok, a solução é clara: “V8/V10 com combustíveis sustentáveis, abandonar as baterias e o híbrido, tornar os carros menores e 120 kg mais leves!”. Ele também lembrou sobre a preocupação com o barulho em provas noturnas: “Fizemos de 2008 a 2013! Não podemos parar a cada reclamação!”

Embora os motores sob os novos regulamentos para 2026 já estejam definidos, as regras técnicas ainda não foram totalmente estabelecidas. A F1 busca carros 50kg mais leves e aerodinâmica ativa para reduzir o arrasto nas retas.

“Queremos reduzir o peso em cerca de 50kg, o que possibilitará carros menores e mais ágeis,” disse Nikolas Tombazis, chefe de monopostos da FIA. “Precisamos discutir soluções”, acrescentou.

A proposta de Chandhok levanta um debate interessante: a F1 deve sacrificar o ronco tradicional para maior eficiência e sustentabilidade? A decisão caberá aos chefes da categoria, mas os fãs já se posicionaram favoravelmente aos motores mais barulhentos.