Ben Sulayem comenta bastidores da F1 pós-Abu Dhabi 2021

A controvérsia que aconteceu no GP de Abu Dhabi em 2021 (quando o então diretor de corridas, Michael Masi errou em suas decisões e influenciou no resultado do GP, conforme a própria FIA já admitiu, o que resultou na demissão de Masi), não ficou restrita apenas às paredes do circuito e às muitas críticas envolvendo o resultado daquela corrida, e consequentemente, do campeonato daquele ano. As vibrações chegaram até o escritório do então recém-eleito presidente da FIA, Mohammed Ben Sulayem, que tomou posse apenas cinco dias antes daquela corrida. Em entrevista ao Motorsport-Magazin.com, Sulayem revelou os bastidores turbulentos dos primeiros meses de sua gestão e como ele lidou com as críticas e demandas em um ambiente ainda marcado pela polêmica.

“Nunca direi que tudo correu bem naquele GP de Abu Dhabi. Sempre procuro áreas para melhorar”, afirmou o presidente da FIA. “Mas logo após a eleição, pensei comigo: ‘Calma, vamos primeiro entender o que está acontecendo. Deixa eu curtir a vitória!’,” disse ele.

Eleito com a promessa de mudanças na FIA, Sulayem logo se viu mergulhado em um turbilhão de decisões: “Então, analisamos o problema. Serei honesto: Eu odeio reagir de cabeça quente. Sempre digo: Se não planejar, você falha. Tenha um plano para tudo! Eu estava inundado de problemas. Me perguntava o que estava acontecendo. É por isso que criamos uma estrutura melhor com o fortalecimento do departamento de monopostos, para que haja menos problemas. Mas os pilotos sempre pedirão coisas”.

A fala de Sulayem revela a dualidade de sua posição. Ao mesmo tempo em que reconhece as deficiências e problemas que ocorreram naquela corrida em Abu Dhabi e a necessidade de melhorias, ele defende uma abordagem prudente, evitando ser um ‘bombeiro’ de crises. A criação de uma estrutura mais sólida para os monopostos foi a resposta concreta apresentada pelo dirigente, com o objetivo de evitar novos dramas como aquele e garantir que o foco volte para a essência da Fórmula 1: a competição em alto nível e o espetáculo da velocidade.

O caminho, contudo, não é fácil. Os pilotos e as equipes, por sua vez, continuarão a cobrar, exigindo garantias de fair play e decisões justas. A habilidade de Sulayem para equilibrar essas demandas e liderar a F1 rumo a um futuro mais tranquilo, será o principal teste de sua gestão. O legado do homem que assumiu o comando da FIA praticamente ao mesmo tempo do que aconteceu em Abu Dhabi em 2021 (e que rende discussões até hoje), ainda está sendo escrito, mas uma coisa é certa: os próximos capítulos prometem muita emoção, tanto fora quanto dentro das pistas.