Aitken relembra sua única participação em um GP de F1

Para o jovem piloto, Jack Aitken, participar de um único GP na Fórmula 1 foi o suficiente para deixar uma marca eterna. Em 2020, ele substituiu George Russell na Williams, que por sua vez havia assumido o lugar de Lewis Hamilton na Mercedes, afastado pela covid-19. O GP de Sakhir não foi perfeito para Aitken, pois terminou com uma batida, mas para ele a experiência transcendeu o resultado.

“Ser parte dos 20 ou 22 pilotos do mundo que têm essa chance, mesmo que apenas uma vez, é algo que vou levar basicamente para o túmulo, e ser feliz por ter feito isso”, disse Aitken ao The Race.

Apesar da frustração inicial com a batida, o britânico-coreano reconhece o valor de sua participação: “Na época, fiquei muito frustrado porque parecia que eu poderia ter um segundo GP em Abu Dhabi, já que Lewis ainda não tinha certeza se estaria recuperado a tempo. Não consegui, e a única corrida que fiz terminou com um acidente. Isso me irritou muito como piloto, alguém que só quer mostrar o que pode fazer. Mas com o tempo e a perspectiva, eu olho para trás e penso: ‘Na verdade, tudo o que fiz, seja nos treinos, na sessão de classificação, ou na corrida, fiz o melhor trabalho que eu poderia ter feito’,” finalizou.

Aitken não conseguiu se firmar na F1, mas sua breve participação deixou uma marca eterna no piloto. Para ele, seu único GP na F1 foi um capítulo inesquecível de sua carreira, mesmo que tenha sido finalizado de forma abrupta. Afinal, nem todo mundo pode dizer que já pilotou um carro de Fórmula 1 em uma corrida oficial.