Fórmula E: António Félix da Costa vence em Portland após erro de Cassidy

António Félix da Costa demonstrou uma habilidade e compostura notáveis para assegurar uma vitória no frenético Hankook Portland E-Prix, a 13ª etapa do Campeonato Mundial de Fórmula E ABB FIA. Um erro não forçado do atual líder do campeonato, Nick Cassidy, na penúltima volta, mudou dramaticamente o desfecho da corrida, favorecendo o piloto português.

Inicialmente, Cassidy e a equipe Jaguar TCS Racing pareciam destinados a uma vitória decisiva no Portland International Raceway. O neozelandês assumiu a liderança na volta 23, faltando quatro voltas para o fim, e parecia encaminhado para a vitória. Seu companheiro de equipe, Mitch Evans, apesar de uma penalidade de cinco segundos por uma colisão no início, desempenhou um papel crucial ao ultrapassar da Costa, garantindo o que parecia ser uma dobradinha para a Jaguar.

Cassidy manteve o controle, mantendo uma vantagem de meio segundo sobre Evans e da Costa. No entanto, como é comum na Fórmula E, nada é certo até a bandeira quadriculada. Em um momento atípico, Cassidy errou na curva 11, pegando muito a zebra e saindo da pista, caindo para a 19ª posição.

Este erro entregou a vitória a da Costa, que agora acumula três vitórias nas últimas quatro corridas e vitórias consecutivas. A corrida, a mais rápida na história da Fórmula E, com uma velocidade média de 152.041 km/h, consolida a posição de da Costa como o homem a ser batido atualmente. Seu desempenho estelar destaca uma reviravolta dramática após um início de temporada desafiador.

Jean-Éric Vergne, da DS PENSKE, terminou em terceiro, seguido por Edoardo Mortara, da Mahindra Racing, em quarto – o melhor resultado da temporada para ambos. Nico Müller, da ABT CUPRA, impressionou ao terminar em quinto, à frente do campeão mundial Jake Dennis, que terminou em sexto em sua terra natal, correndo pela Andretti Fórmula E.

Sam Bird fez uma recuperação notável de 19º para terminar em sétimo, enquanto Evans, após cumprir sua penalidade, cruzou a linha em oitavo. Stoffel Vandoorne, da DS PENSKE, e Pascal Wehrlein, da TAG Heuer Porsche, completaram os dez primeiros. O erro de Cassidy permitiu que Wehrlein reduzisse a vantagem de Cassidy na classificação para 24 pontos, com Evans em terceiro, a três pontos adicionais.

No Campeonato de Equipes, a TAG Heuer Porsche diminuiu a diferença, seguindo a Jaguar TCS Racing com 55 pontos, estando atualmente com 370 pontos contra 354 da Jaguar.

A 14ª etapa da temporada 10 continuará no Portland International Raceway amanhã, domingo, 30 de junho. Ainda há ingressos disponíveis para aqueles que querem vivenciar toda a ação, com a corrida começando às 14h, horário local.

Para ver as classificações completas de Pilotos, Equipes e Fabricantes, clique aqui.

Declarações pós-corrida

António Félix da Costa, No. 13, Tag Heuer Porsche Fórmula E:
“Estou super feliz, obviamente. Sabíamos que tipo de corrida seria, e todos estão ficando muito bons nisso. A corrida nunca foi a toda velocidade, porque todos estavam pressionando muito para estar na frente, então é difícil construir uma margem para eventualmente acelerar. Já estive do outro lado da moeda nessa situação, então, honestamente, é um ótimo momento. Estou muito feliz com o andamento das coisas.

“Tive momentos difíceis na minha carreira antes, e acho que o que tive no início deste ano foi provavelmente um pouco mais extremo. Sabia que conseguiríamos superar isso, apenas não é agradável quando você está lá. Aprendi muito sobre mim mesmo, sobre as pessoas, sobre o esporte, sobre tudo. Quando você tem momentos ruins e tira coisas boas disso, você se torna um pouco mais forte. Todo mundo aqui já passou por altos e baixos na vida em algum momento, é corridas, então nunca vou dar isso como garantido. Vou celebrar porque sei o quão difícil é vencer hoje em dia, então, sim, vou definitivamente comemorar esta vitória!”

Robin Frijns, No. 4, Envision Racing:
“Estivemos sempre na frente, e esse era o objetivo. Acho que as estratégias que fizemos nos bastidores foram muito boas, a equipe realmente me ajudou a manter minha posição. Estou feliz com a corrida, apenas senti falta de um pouco de acerto no carro, mas estamos aqui para lutar e lutaremos novamente amanhã.

“Tivemos uma espiral descendente recentemente, o que foi difícil para a equipe e para os pilotos também. Temos um bom carro e somos rápidos nos treinos livres na maioria das vezes, mas nas corridas tivemos azar, furos e outras coisas. Agora, finalmente, algo deu certo, temos um pódio e podemos celebrar, e espero outro amanhã.”

Jean-Éric Vergne, No. 25, DS PENSKE:
“Estou muito feliz por terminar em terceiro, mas começando de trás, estou muito satisfeito com o andamento da corrida. Acho que foi muito bom para a equipe Penske e para o lado doméstico de Jay [Penske], então estou feliz por trazer um pódio para ele hoje e esses são bons pontos para o campeonato de equipes, foi um bom dia. Começou muito mal na qualificação, mas estou feliz por ter uma recuperação tão boa na corrida.”