F1: Pilotos da Mercedes indicam principal problema do W15

A Mercedes reconheceu nesta quarta-feira (28) que seu novo carro, o W15, ainda enfrenta desafios antes de brigar pelo título no campeonato. Enquanto George Russell apontou a instabilidade na frenagem como principal obstáculo, Lewis Hamilton destacou a falta de downforce em relação a Red Bull e Ferrari.

Mesmo considerando o W15 um ‘carro de corrida totalmente diferente’ dos modelos anteriores, Russell afirmou que a equipe precisa ‘continuar trabalhando no equilíbrio do carro’. Segundo o piloto, o problema está relacionado à estabilidade na frenagem, diferente do ‘porpoising’ que a Mercedes sofreu fortemnete na tmporada 2022 da Fórmula 1.

Russell também reconheceu que a equipe está atrás em downforce e que o plano de desenvolvimento precisa ser eficiente para alcançar os líderes: “Estou confiante de que a curva de desenvolvimento deste carro deve ser maior do que a dos dois últimos, porque temos uma plataforma melhor”, disse ele.

Hamilton, por sua vez, confirmou as limitações do W15, mas ressaltou a evolução em relação aos carros de 2022 e 2023: “Ainda temos alguns problemas que estamos tendo que resolver e não está perfeito. Mas é definitivamente um melhor ponto de partida dos últimos dois anos”, disse o piloto, que irá se transferir para a Ferrari em 2025.

Apesar da mudança para a Scuderia, Hamilton negou ter perdido a fé na Mercedes: “Eu realmente acredito que esta equipe vai ganhar outro campeonato. É um grupo de pessoas incrível e é muito bem administrado. A Mercedes tem uma história incrível e está fortemente investida em corridas”, concluiu o britânico.

Com o início da temporada 2024 marcado para este próximo final de semana, a Mercedes buscará resolver os problemas iniciais do W15 para entrar na briga pelo título. A equipe reconhece a dificuldade, mas confia na capacidade de desenvolvimento do carro para alcançar os líderes da categoria.