F1: Chefe da Red Bull recebe título do Império Britânico

O chefe da Red Bull, Christian Horner, acaba de receber uma honraria de peso: o título de Comandante da Ordem do Império Britânico (CBE). Esse reconhecimento não é apenas um tapinha nas costas, mas a justa celebração de um arquiteto que construiu e sustentou um dos times mais dominantes na história da Fórmula 1.

Ao analisar a trajetória de Horner, Peter Windsor, renomado comentarista de F1, aponta sua visão clara como pedra fundamental do sucesso. Desde o início, Horner sabia que precisava de um ingrediente especial: o gênio de Adrian Newey. Convenceu Dietrich Mateschitz, o já falecido dono da Red Bull, a trazer o lendário projetista que então estava na McLaren, dando o pontapé inicial para a ascensão da equipe.

Mas Horner não parou por aí. O que distingue seu feito é a fidelidade de Newey à equipe.Horner manteve Newey firme na Red Bull por quase duas décadas. “Max não teria a carreira que tem hoje, e a Red Bull não teria Adrian, se não fosse por Christian Horner”, afirmou Windsor.

A Red Bull se transformou de uma novata ambiciosa em uma força dominante na F1, e Horner é o maestro por trás da sinfonia.

O CBE não é apenas um reconhecimento a Horner, mas a todo o time que ele construiu. É um testemunho do poder da visão, da liderança e da capacidade de atrair e reter os melhores talentos. É a história de um arquiteto que desenhou um império da velocidade, e que a partir de agora, carrega uma condecoração tão brilhante quanto os carros de sua equipe.