F1: Button aponta excesso de autocrítica como fraqueza de Norris

Apesar de uma boa temporada na Fórmula 1 em 2023, com a conquista de alguns pódios e bons desempenhos, o talentoso Lando Norris tem um ponto fraco em sua abordagem às corridas, de acordo com o campeão da F1 em 2009, Jenson Button.

Norris teve grandes momentos no ano passado, conquistando sete pódios. No entanto, o britânico se mostrou bastante crítico de seu próprio desempenho em várias ocasiões, principalmente nas classificações das últimas etapas.

Ele sentiu que deixou escapar possíveis poles no Catar, Brasil e Abu Dhabi, lamentando suas performances de uma volta. Button acredita que, às vezes, Norris exagera na autocrítica e acaba se atrapalhando.

“Lando é um talento extremo, de verdade,” afirmou Button. “O acompanho desde que ele pilotou na F1 pela primeira vez na Hungria, quando eu ainda corria pela McLaren. Foi impressionante como ele se adaptou rapidamente. Mas ele também é um grande pensador, e isso às vezes o prejudica. Ele se analisa demais e começa a duvidar de suas habilidades. Mas ele é excepcional, e estou ansioso para vê-lo em um carro capaz de brigar por vitórias. Só não sei quando isso vai acontecer.”

A McLaren é uma das equipes mais vitoriosas da F1, mas não conquista um campeonato desde o triunfo de Lewis Hamilton em 2008. Os últimos anos foram dominados pela Red Bull, e a McLaren precisou se recuperar durante a última temporada após um início decepcionante. Apesar de ser considerado um dos pilotos mais fortes do grid, Norris ainda não venceu uma corrida na F1 em 104 largadas. Button, porém, pede paciência ao compatriota na busca por sua primeira vitória.

“É difícil competir com uma equipe e piloto tão dominantes, onde apenas um pode vencer,” disse Button se referindo à Red Bull e Max Verstappen. “Mas se você conseguir ser o segundo, já é um ótimo ponto de partida. Só espero que essa hegemonia não dure para sempre. Lando não vai abandonar a categoria só porque não venceu uma corrida. Ele vai continuar lutando por esses triunfos, e a vontade não vai desaparecer. Ele ainda precisa superar o companheiro de equipe e todos os outros pilotos do grid. É doloroso ver tanto domínio por tantos anos, mas a situação muda. Vimos isso acontecer com a Mercedes. Eu não achei que alguém os derrotaria nos próximos dez anos, mas a Red Bull chegou e conseguiu. Então, é possível”, encerrou Button.