Coulthard pede volta da “guerra” de pneus para salvar a F1

Max Verstappen e a Red Bull dominaram a Fórmula 1 em 2023, mas como desafiar esse reinado? David Coulthard, ex-piloto da categoria, acredita que a volta da guerra de pneus seria a resposta.

Verstappen conquistou a vitória em 19 das 22 corridas no ano passado, e a Red Bull, somando as duas vitórias de Perez, chegou a impressionantes 21 triunfos, perdendo apenas o GP de Singapura para Carlos Sainz da Ferrari. Esse domínio despertou o desejo de outras equipes por um grid mais equilibrado nas temporadas.

Coulthard, que correu pela Red Bull entre 2006 e 2008, propõe uma alteração específica no regulamento: “Não acho que haja interesse em uma ‘guerra’ de pneus no momento, mas eu acho que seria melhor para a categoria”, afirmou no podcast Fórmula para o Sucesso.

“Às vezes, a Pirelli teria o pneu ideal para um circuito, e outras vezes, digamos por exemplo, a Bridgestone. Isso criaria naturalmente uma disputa competitiva, corrida a corrida, baseada no único elemento que toca o asfalto, os pneus”, disse ele.

Em 2006 foi a última temporada que ocorreu uma ‘guerra’ de pneus na F1, com Michelin e Bridgestone. Desde 2007, há apenas um fornecedor, com a Bridgestone sendo substituída pela Pirelli em 2011. E a Pirelli seguirá como a única fornecedora até 2027, após um recente acordo com a FIA.

No entanto, o ex-chefe de equipe Eddie Jordan teme que uma nova guerra de pneus favoreça somente as equipes de ponta: “Não sei como garantir a concorrência, sem o risco de grandes investimentos apenas nos times que disputam título”, ponderou Jordan.

Será que a F1 poderá seguir a sugestão de Coulthard para tornar o grid mais equilibrado no futuro? A discussão está aberta e já foi alvo de alguns comentários no paddock da categoria.