F1: Investigação da FIA sobre Wolff podeira ser fruto de rixa pessoal

A temporada 2023 da Fórmula 1 acabou há algumas semanas, mas as histórias de bastidores continuam a se desenrolar. Na terça-feira, a FIA anunciou que estava abrindo uma investigação sobre Toto Wolff e sua esposa Susie, por possível troca de informações confidenciais oriundas da FOM. O Mail Sport agora publicou uma reportagem que fornece alguns antecedentes sobre a situação e também sobre o futuro de Wolff na Mercedes.

Essa polêmica envolvendo Wolff começou com a alegação de que ele vazava informações confidenciais de reuniões das equipes de F1 para sua esposa Susie, que por sua vez passava adiante informações que ouvia em reuniões da F1 por meio de seu papel na F1 Academy. Isso teria desagradado outras equipes.

A Mercedes reagiu furiosamente à investigação da FIA. Susie Wolff, diretora administrativa da F1 Academy, também expressou sua indignação nas redes sociais. Posteriormente, a Fórmula 1 também se manifestou, pois ficaram insatisfeitos por não terem sido informados pela FIA que uma investigação seria aberta.

Na quarta-feira à noite, todas as equipes divulgaram um comunicado dizendo que não haviam repassado nenhuma informação sobre vazamentos. Portanto, deve estar vindo de outra fonte, mas qual? A BBC então escreveu que a investigação pode ser resultado de uma rixa pessoal entre Wolff e o presidente da FIA, Mohammed Ben Sulayem. Este último teria ficado insatisfeito com declarações recentes feitas pelo chefe da equipe Mercedes.

De acordo com o Mail Sport, Wolff tem apoiadores e aliados no assunto. “Há quem queira ver Wolff cair. Eles desejam seu fim profissional. Isso porque ele é visto como tendo ido longe demais, por ter tentado se infiltrar em todos os aspectos do esporte, por agir como seu principal manipulador. Outros acham que ele está sendo injustamente apontado pelo presidente da FIA, Mohammed Ben Sulayem, por ser uma grande figura com pensamentos próprios, que vão contra os de Sulayem. ‘Esta cidade não é grande o suficiente para os dois’. E no final deste processo, apenas um homem pode ficar de pé.”

As alegações contra Wolff estão agora sendo analisadas pelo departamento de compliance da FIA. Depois disso, o caso será encaminhado à comissão de ética ou arquivado, e com isso, todas as acusações seriam retiradas.

O futuro de Wolff na Mercedes permanece incerto, com a investigação da FIA em andamento e sua relação com Ben Sulayem deteriorada. Ele tem até o início de 2024 para resolver a situação, mas deve garantir sua permanência na equipe.