F1: Comissário do GP da Áustria explica penalidade de Verstappen

O ex-piloto de Fórmula 1 Johnny Herbert, que atuou como comissário de prova no GP da Áustria, esclareceu a penalidade aplicada a Max Verstappen pelo toque com Lando Norris.

Verstappen e Norris protagonizaram um incidente na volta 64, na curva 3 do Red Bull Ring. A colisão causou danos nos carros de ambos os pilotos, obrigando Norris a abandonar a corrida. Após análise, os comissários consideraram Verstappen culpado e lhe aplicaram uma punição de dez segundos. O holandês ainda conseguiu retornar para a corrida após trocar os pneus e terminou na quinta posição.

Herbert afirmou que, no momento do toque, Norris estava prestes a receber uma penalização por exceder os limites da pista em quatro oportunidades. “Estávamos analisando o caso de Lando, que seria punido com cinco segundos pelos limites de pista, quando o incidente aconteceu”, disse Herbert.

Após a corrida, a equipe McLaren, de Norris, considerou a punição para Verstappen muito branda. No entanto, Herbert explicou que a penalidade de dez segundos é a máxima que a FIA pode aplicar em casos onde um piloto é considerado culpado por causar uma colisão.

“É a punição mais severa permitida pelas diretrizes da FIA. A McLaren pode reclamar, mas esse é o jogo de todas as equipes”, afirmou o ex-piloto. “A menos que houvesse um capotamento ou algo do tipo, dificilmente a penalidade seria diferente. Causar a saída de pista de outro piloto ou provocar um acidente foi a infração cometida por Verstappen, e essa foi a punição máxima que poderíamos aplicar”, finalizou Herbert.