Conheça os três “jovens sonhadores” que disputam o maior prêmio do automobilismo brasileiro

Três jovens pilotos com um grande futuro pela frente e um sonho: integrar o grid da Stock Car Pro Series. O paranaense Zezinho Muggiati e os gaúchos Gabriel Robe e Arthur Gama virão neste fim de semana de seus respectivos Estados para São Paulo em busca do título de campeão da Stock Series, categoria de acesso da Stock Car Pro Series, principal campeonato automobilístico do País.

Mas os três vão lutar por algo ainda maior: o vencedor da disputa terá direito a uma bolsa equivalente a R$ 2,5 milhões, que dará ao novo campeão o direito de correr na Stock Pro em 2024. Zezinho Muggiati, de 20 anos, luta com Gabriel Robe, de 26, e com Arthur Gama, o mais jovem do trio, com somente 18. Os três aceleram no Autódromo de Interlagos com a meta de dar um passo fundamental na carreira.

Líder da tabela de pontos e protagonista da temporada 2023 da Stock Series, Zezinho Muggiati persegue há quatro temporadas o título da categoria de acesso da Stock Car. O piloto nascido em Curitiba conquistou a oportunidade de entrar na então chamada Stock Light depois de passar por um processo seletivo quando tinha 16 anos.

À época campeão brasileiro de kart na categoria Graduados, Muggiati venceu disputa promovida pela Academia de Jovens Pilotos Toyota Gazoo Racing Brasil. O triunfo lhe garantiu uma bolsa para estrear na Stock Series pela equipe chefiada pelo experiente Carlos Alves, o que foi um divisor de águas em sua trajetória no automobilismo.

Logo no seu ano de estreia, Zezinho conquistou uma vitória, justamente em Interlagos — palco da decisão deste fim de semana. Em 2021, o curitibano se transferiu para a W2 Racing ProGP, onde permanece até hoje, e evoluiu sua pilotagem ao conquistar cinco pódios.

2022 foi marcante para o piloto, que teve sua primeira chance de correr na Stock Car — como convidado de Sergio Jimenez na Corrida de Duplas, disputada em Interlagos, onde correu com o Toyota Corolla da Scuderia Chiarelli. Na Stock Series, o ano foi de muito aprendizado, três vitórias e 15 pódios, mas também de um duro revés ao ver o título do campeonato escapar na última etapa para o então companheiro de equipe, Vitor Baptista.

Mas Muggiati criou forças para seguir em frente. E recomeçou com um implacável início de temporada 2023 ao gabaritar em Interlagos: três vitórias, três voltas mais rápidas e duas poles. Nas duas etapas seguintes, Zezinho perdeu terreno e viu Gabriel Robe assumir a liderança da tabela. Mas o paranaense deu a volta por cima a partir da etapa do Velopark (RS) e se reposicionou na ponta. Com seis vitórias, 12 pódios, quatro poles e sete voltas mais rápidas, o dono do carro #38 da W2 Racing ProGP ocupa a dianteira do campeonato com 349 pontos.

Desafiante com experiência — De todos os pilotos no grid atual da Stock Series, ninguém tem mais quilometragem na categoria de acesso do que Gabriel Robe. O piloto nascido em Pelotas (RS) já conquistou o título em 2017 e foi vice em 2016, 2019 e em 2021. Neste ano de 2023, paralelamente ao sonho de chegar à Stock Car, Gabriel se formou em Odontologia. No automobilismo, o grande objetivo de um competidor que sempre mostrou talento e muita competência está em encontrar o orçamento para correr na Stock Pro. Algo que pode se tornar realidade se for campeão da Series neste fim de semana e assegurar o prêmio equivalente a R$ 2,5 milhões para correr na categoria principal.

Robe já teve a oportunidade de acelerar na Stock Car. A primeira vez foi em 2018, quando foi convidado por Felipe Lapenna para disputar a Corrida de Duplas com a equipe Cavaleiro Sports. Mas o momento de maior brilho aconteceu no ano passado, quando Gabriel aceitou o chamado do campeão de 2021, Gabriel Casagrande, para disputar a prova de duplas em Interlagos com a A.Mattheis Vogel. O gaúcho não decepcionou, esteve entre os melhores na sua disputa, finalizou na quarta colocação e ajudou o amigo a vencer o evento e a somar pontos importantes para o campeonato.

De volta à divisão de acesso em 2023 com a repaginada Garra Racing Team e mantendo o sonho de buscar a premiação e subir de vez para a Stock Car no ano que vem, Robe ocupou a liderança do campeonato entre as etapas dois e três (Tarumã e Cascavel), aproveitando a maior experiência em dois traçados dos mais desafiadores e velozes do Brasil. Mas o torcedor fanático do Brasil de Pelotas acabou sendo superado por Muggiati no Velopark e no Velocitta e chega à decisão em segundo, com 330 pontos (19 a menos que Zezinho) e principal desafiante do paranaense.

No ano marcante pela sua formatura como dentista, Gabriel Robe sonha em realizar um velho objetivo e fazer parte, de forma definitiva, do principal grid do automobilismo brasileiro.

A grande promessa — Arthur Gama chegou ao grid da Stock Series neste ano trazendo consigo enorme expectativa. Afinal, mesmo bastante jovem, o piloto nascido em Porto Alegre trouxe na bagagem vários títulos, como o de campeão do Brasileiro de Turismo 1.4, em 2021, e também a taça da Sprint Race na classe PROAM no ano passado. Neste ano, além da disputa da Series com a Garra Racing Team, Gama também correu na NASCAR Brasil Sprint Race, sempre com enorme destaque.

Na categoria de acesso à Stock Car, Arthur chegou à maioridade, completou 18 anos em maio e mostrou evolução progressiva a cada etapa. O jovem coroou seu esforço com a vitória na prova no Velocitta, em setembro, e marcou um total de sete pódios e uma volta mais rápida, além de sete triunfos entre os estreantes.

Desta forma, Gama chega para a última e decisiva rodada do campeonato sendo o único piloto com possibilidade de faturar dois títulos: o geral e também dos ‘rookies’. Na luta contra os experientes Zezinho Muggiati e Gabriel Robe, Arthur tem chances matemáticas e corre em Interlagos como terceiro colocado, com 275 pontos. Independentemente do que conseguir na rodada final da temporada, Gama pode se orgulhar da campanha de uma promessa que se converte em realidade a cada corrida.

Quem mais pode ser campeão — Além de Arthur Gama, a Stock Series tem outros dois pilotos que podem sair de Interlagos comemorando o título de ‘rookie’. Felipe Barrichello Bartz e Mathias de Valle são companheiros de equipe na W2 Racing ProGP e fizeram importante ano de estreia na categoria de acesso.

Sobrinho de Rubens Barrichello, ‘Pipe’ fez a transição dos monopostos, saindo do BRB Fórmula 4 Brasil para se desafiar na Stock Series. Com 18 anos, o paulista marcou cinco pódios (sendo três deles de forma seguida na etapa do Velopark). Barrichello Bartz tem 322 pontos no campeonato dos estreantes, contra 348 de Arthur Gama.

Mathias de Valle também brilhou em 2023. Vindo do vice-campeonato na Turismo Nacional no ano passado, o paulista de 21 anos radicado em Goiânia teve pela primeira vez a oportunidade de competir com carros de tração traseira e se deu bem, vencendo duas corridas na Stock Series (em Tarumã e Cascavel), além de ter acumulado muito aprendizado e crescimento. Mathias reúne possibilidades matemáticas de título ‘rookie’ e soma 293 pontos.

Stock Series 2023: os finalistas (ao título geral)
Zezinho Muggiati
Data de nascimento: 09/05/2003 (20 anos)
Naturalidade: Curitiba (PR)
Equipe: W2 Racing ProGP
Números na temporada 2023
Corridas: 15
Vitórias: 6
Pódios: 12
Poles: 4
Voltas mais rápidas: 7
Pontuação: 349 pontos (líder)

Gabriel Robe
Data de nascimento: 13/05/1997 (26 anos)
Naturalidade: Pelotas (RS)
Equipe: Garra Racing Team
Números na temporada 2023
Corridas: 15
Vitórias: 4
Pódios: 10
Poles: 4
Voltas mais rápidas: 4
Pontuação: 330 pontos (vice-líder)

Arthur Gama
Data de nascimento: 24/05/2005 (18 anos)
Naturalidade: Porto Alegre (RS)
Equipe: Garra Racing Team
Números na temporada 2023
Corridas: 15
Vitórias: 1 (geral), 7 (‘rookies’)
Pódios: 7
Voltas mais rápidas: 1
Pontuação: 275 (3º no geral); 348 (1º entre os ‘rookies’)