Massa vence pela primeira vez na Stock Car, que define finalistas

A Stock Car Pro Series viveu um dia histórico e, de quebra, conheceu os pilotos que vão decidir o título da temporada 2023. Em domingo (26/11) frio e nublado, no qual a chuva desta vez não se fez presente, o Autódromo Internacional Zilmar Beux, em Cascavel (PR), foi palco de duas grandes e movimentadas corridas, que determinaram os finalistas do ano e coroaram os vencedores do dia: Bruno Baptista (RCM Motorsport) triunfou com Toyota Corolla na Corrida 1, enquanto Felipe Massa (Lubrax Podium Stock Car Team) alcançou uma vitória marcante na segunda prova da rodada no Oeste do Paraná a bordo do Chevrolet Cruze #19.

Foi a primeira vez do paulista de 42 anos no topo do pódio da Stock Car e também a primeira vitória de Massa desde o inesquecível GP do Brasil de Fórmula 1 de 2008, no Autódromo Interlagos, na época em que o piloto defendia a Ferrari.

A Stock Car também conheceu os pilotos que vão para a última etapa ainda com chances de título. Serão sete os pilotos na briga: Gabriel Casagrande (A.Mattheis Vogel, 286 pontos), Daniel Serra (Eurofarma RC, 271), Felipe Fraga (Blau Motorsport, 253), Thiago Camilo (A.Mattheis Ipiranga Racing, 250), Rafael Suzuki (Pole Motorsport, 243), Rubens Barrichello (Mobil Ale Full Time, 239) e Ricardo Zonta (RCM Motorsport, 237).

Uma corrida de grandes duelos — Com a pista úmida em alguns pontos e mais seca em outros, Bruno Baptista largou na frente e segurou a pressão de Daniel Serra, que tentou a ultrapassagem por fora no Bacião. No começo, a ordem dos primeiros colocados do grid foi mantida: Bruno, Serrinha, Julio Campos, Rafael Suzuki e Felipe Baptista.

Foi uma corrida de alta intensidade desde o início, com muitas disputas por posição em todos os pelotões. Na frente, Bruno Baptista se segurava na liderança, e na parte final do grid postulantes a uma vaga na final como Thiago Camilo, Felipe Fraga e o líder do campeonato, Gabriel Casagrande, tentavam se desvencilhar dos adversários e abrir caminho.

Serra foi o primeiro entre os líderes a fazer o pit-stop. Na volta seguinte, foi a vez de Bruno Baptista realizar sua parada. O piloto do Toyota Corolla #44 voltou para a pista praticamente lado a lado com o tricampeão, que fez a ultrapassagem e assumiu a liderança. Entretanto, na volta seguinte, Baptista acelerou e fez bela manobra ao superar Serrinha por fora na entrada do Bacião. Os dois travaram duelo espetacular pela vitória em Cascavel.

Ao término da janela de pit-stops, Bruno Baptista consolidou a liderança, seguido por Daniel Serra, Guilherme Salas, Julio Campos e Felipe Baptista, que conseguiu deixar Suzuki para trás.

Daniel encostou novamente em Bruno nas voltas finais e deixou a corrida mais empolgante, como também empolgava o duelo pelo 17º lugar entre Casagrande e Rubens Barrichello, que estava sob investigação por conta de irregularidades no procedimento obrigatório de pit-stop. Mas foi Gabriel o punido em 5s em razão de incidente com Rubinho durante a disputa por posição.

Baptista conquistou sua primeira vitória na temporada e a quarta na carreira na Stock Car depois de superar um aguerrido Daniel Serra, segundo colocado, enquanto Guilherme Salas foi o terceiro. Julio Campos, Felipe Baptista, Ricardo Zonta, Rafael Suzuki, Gaetano Di Mauro, Felipe Massa e Lucas Foresti completaram a lista dos dez primeiros.

O vencedor destacou a complexidade da corrida com as condições da pista e também a batalha com Daniel Serra para triunfar pela segunda vez em Cascavel. “A pole de ontem ajudou a concretizar a vitória hoje. Foi muito duro porque começamos com a pista ainda molhada e correndo com os pneus slicks. Foi igual para todo mundo, mas bem difícil pra gente. E o Daniel também deu muito trabalho porque ele também teve um carro muito bom. Ele me passou ali na saída dos boxes, mas consegui fazer a ultrapassagem de novo na pista, e conseguimos. Agora vamos para Interlagos, onde espero fechar a temporada com mais uma vitória”.

Massa vence a 1ª na Stock — Com Lucas Foresti largando na frente e Felipe Massa ao seu lado na primeira fila, a principal categoria do automobilismo brasileiro partiu para fechar uma empolgante etapa em Cascavel. Foi uma primeira volta complicada para Gianluca Petecof e Thiago Camilo, que enfrentaram incidentes, tiveram os respectivos carros avariados e abandonaram a prova pouco depois.

Lá na frente, Massa passou a pressionar o líder Foresti e acionou o botão de ultrapassagem para assumir a liderança da corrida, enquanto Gaetano Di Mauro vinha em terceiro. Com boa performance, Zonta passou Suzuki e subiu para quarto, entrando na briga por um lugar no pódio.

O período de dez voltas para os pit-stops obrigatórios ratificou Felipe Massa como líder de uma prova extremamente disputada, com briga boa na frente e também no pelotão intermediário, com nada menos que sete carros lutando pelo 12º lugar. Minutos depois, outro candidato a finalista, Rubens Barrichello, recolheu para os boxes e abandonou a Corrida 2.

Com a vitória praticamente encaminhada para Massa, o grande destaque foi Átila Abreu, que subiu para a segunda colocação depois das paradas obrigatórias e com estratégia incrível após ter largado em 25º. O sorocabano foi seguido por três pilotos que lutavam pelo terceiro lugar: Lucas Foresti, Ricardo Maurício e Ricardo Zonta.

Depois de 28 voltas, Massa conquistou um triunfo histórico para sua carreira. O piloto da Lubrax Podium Stock Car Team cruzou a linha de chegada na frente e voltou ao topo de um pódio depois de 15 anos, o que não acontecia desde o GP do Brasil de Fórmula 1 de 2008. Átila Abreu terminou na segunda colocação, enquanto Ricardo Maurício venceu a batalha com Foresti e Zonta e cruzou a linha de chegada em terceiro.

Felipe Massa vibrou muito com a conquista, dividiu os louros da vitória com a equipe liderada por Thiago Meneghel e lembrou outro triunfo muito especial. “A primeira vitória é sempre especial em qualquer categoria. Lembro bem da Fórmula 1, quando venci em 2006 na Turquia. E agora vencemos aqui na Stock Car. O trabalho hoje foi perfeito, tanto meu como também da equipe em termos de estratégia e de pneus. O ritmo de corrida foi muito bom aqui, especialmente na segunda prova, com os pneus já velhos, e conseguimos um resultado maravilhoso. Largamos em segundo, subimos para primeiro e abrimos vantagem, fizemos o pit-stop e voltamos na frente, então foi um resultado muito bacana. Estar no topo do pódio é o melhor lugar que a gente pode estar, então estou muito feliz. Só posso agradecer a todos aqui de Cascavel, à equipe e a todos que participaram desse momento comigo”.

Os finalistas — A Stock Car agora se prepara para a decisão do seu 45º campeonato. Dono do título em 2021, Gabriel Casagrande vai para a Super Final BRB como líder do campeonato com 286 pontos, 15 de vantagem para o tricampeão Daniel Serra, que vai para sua sétima final consecutiva, desde que passou a defender a Eurofarma RC, equipe liderada por Rosinei Campos, o lendário ‘Meinha’. Mais jovem campeão da categoria, Felipe Fraga — dono da taça em 2016 —, também está na decisão com déficit de 33 pontos para o líder do campeonato, enquanto Thiago Camilo, vice-campeão em 2009/13/17/19 e há muito em busca de um merecido título, é o quarto, com 250 tentos (36 a menos que Casagrande).

Rafael Suzuki alcançou pela primeira vez a condição de finalista na Stock Car. Depois de quase dez anos no grid da categoria, o piloto da Pole Motorsport é o quinto na tabela, com 243 pontos (43 atrás de Casagrande), seguido pelo atual dono do Troféu dos Campeões, Rubens Barrichello, que soma 239 pontos, desvantagem de 47 para o líder. O sétimo finalista é o também ex-Fórmula 1 Ricardo Zonta. Vice-campeão em 2020, o paranaense corre na última etapa com 237 tentos somados, a 49 da ponta da tabela.

Com exceção de Serra, que ergueu o Troféu Vivo Man of Race como o maior pontuador da etapa (40 pontos), foi um domingo complicado para postulantes ao título como Casagrande, Felipe Fraga e Camilo. O líder do campeonato lamentou o resultado da sessão classificatória, que o colocou em 26º no grid neste domingo, mas destacou sua condição perante os adversários antes da final.

“Nós tivemos um fim de semana que não foi tão bom. O sábado nos prejudicou bastante, classificamos atrás e aí não tem muito como avançar. Aqui é uma pista onde os carros andam muito próximos, então foi bem difícil. Conseguimos algumas posições, mas não foi o suficiente. O que fica é que vamos para a decisão com vantagem, e são os outros que têm de arriscar para buscar o título. Tenho um bom carro, a equipe tem feito um excelente trabalho e sempre fez nas últimas vezes que fomos a Interlagos, então vamos para lá mais confiantes do que nunca para buscar esse bicampeonato”, declarou.

A Super Final BRB e a coroação do grande campeão da Stock Car em 2023 estão marcadas para os dias 15 a 17 de dezembro e terá lugar no Autódromo de Interlagos, em São Paulo.