De calculadora na mão: Stock Car faz as contas para o título

A 11ª e penúltima etapa da temporada 2023 da Stock Car será disputada neste domingo (26/11) no Autódromo Internacional Zilmar Beux, em Cascavel (PR), e vai ‘peneirar’ os pilotos que vão a Interlagos disputar o título na Super Final, agendada para 17 de dezembro. A pontuação máxima que se pode alcançar em uma etapa da Stock Car é de 56 pontos. Assim, chegará ao último evento do ano ainda com chances de levantar o Troféu dos Campeões o piloto que tiver diferença na tabela menor que 56 pontos em comparação ao líder.

Um fator constante no regulamento pode influenciar este cálculo: os descartes obrigatórios dos quatro piores resultados antes da final de 2023. Segundo o texto, a regra deve ser aplicada após o encerramento da penúltima etapa – ou seja, por volta das 15h do próximo domingo, quando a etapa será encerrada em Cascavel, pilotos e equipes estarão de calculadora na mão a fim de descobrir quem ainda tem chance de ser campeão.

Justamente pelo alto nível de combatividade da Stock Car, com carros andando muito próximos e a possibilidade de toques e rodadas sempre presente, boa parte do grid não tem pontos a desconsiderar – eles já dispensaram o resultado de corridas nas quais não terminaram entre os 20 que pontuam a cada prova. Entretanto, três pilotos entre os top-10 do campeonato ainda estão impactados pela regra.

Terceiro colocado na tabela, com 244 pontos, sem ainda levar em conta os descartes, Thiago Camilo (A.Mattheis Ipiranga Racing) zerou em três corridas e, na sequência, sua pior pontuação foi de dois pontos (18º lugar no Velopark). Portanto, o paulista de 39 anos teria dois tentos a descartar na atual configuração da tabela.

Quem seria mais afetado neste momento é justamente o atual campeão. Quarto colocado, com 237 pontos, Rubens Barrichello (Mobil Ale Full Time) ficou fora dos 20 primeiros colocados em duas corridas e ainda descarta os pontos por um 19º (Tarumã) e um 16º lugar (Cascavel). Desta forma, o bicampeão teria neste momento sete pontos a descontar. Décimo melhor posicionado no campeonato, Guilherme Salas (KTF) também teria um ponto a desconsiderar por enquanto. O jundiaiense zerou em três provas e terminou em 20º na corrida que abriu o campeonato, em Goiânia.

Confira abaixo a pontuação atual e, entre parênteses, o total de pontos caso a regra dos descartes fosse aplicada agora.

1º – Gabriel Casagrande, 279 pontos (279)
2º – Felipe Fraga, 248 (248)
3º – Thiago Camilo, 244 (242)
4º – Rubens Barrichello, 237 (230)
5º – Daniel Serra, 231 (231)
6º – Rafael Suzuki, 221 (221)
7º – Ricardo Zonta, 205 (205)
8º – Gianluca Petecof, 204 (204)
9º – Ricardo Maurício, 190 (190)
10º – Guilherme Salas, 184 (183)