Drugovich desconversa sobre futuro no WEC, mas diz: “Le Mans pode abrir portas”

Felipe Drugovich mostrou ter gostado bastante de sua participação nas 24 Horas de Le Mans. Tanto que o brasileiro apontou que pode ser que a prova de longa duração do Mundial de Endurance pode lhe abrir outras portas no futuro.

No início do mês, o paranaense disputou uma das principais corridas do calendário internacional – inclusive, que faz parte da Tríplice Coroa. Foi sua estreia na prova e defendeu a Action Express Racing na classe Hypercar ao lado de Pipo Derani e Jack Aitken – o trio cruzou a linha de chegada na 15ª colocação.

Então, após o final de semana cheio, quando questionado se seu futuro seria nos carros protótipo ou nos de monopostos, Drugovich respondeu que “ainda não sei”.

“Claro, gostei muito de Le Mans. É um mundo muito legal e realmente aproveitei. Também, essa corrida pode me abrir algumas portas às vezes. Veremos o que vai acontecer. No momento, estou feliz com as oportunidades que tenho”, contou.

Hoje, Felipe atua como piloto reserva da Aston Martin na F1, além de correr também na temporada 2024 da European Le Mans Series. Nesta semana, o jornal suíço Blick apontou que o brasileiro é o favorito a assumir a vaga na Williams em 2025 caso Carlos Sainz não assine com a equipe britânica.