MotoGP: Quartararo esperava mais de teste, mas elogia nova “mentalidade” da Yamaha

Apenas 12º no último teste do ano de 2023 na última terça-feira, após a última corrida do ano em Valência, Fabio Quartararo não se confessou particularmente satisfeito com a forma atual da Yamaha, entretanto vê que possivelmente a marca esteja em um bom caminho.

Além disso, com as novas concessões, que prometem dar ao time possibilidade de não congelar seus motores durante a temporada e fazer mais testes durante o ano, ele tem esperanças de que o início de 2024 possa trazer oportunidades.

“É claro que eu esperava mais, embora realmente não houvesse grande expectativa para este teste”, iniciou Quartararo.

“Mas você sempre tenta mirar alto e, claro, para mim foi uma certa melhora. Mas a realidade é que ainda estamos tão longe quanto antes. E se tiver que fazer testes extras. Como piloto, quero correr e lutar por vitórias. E se tiver que fazer testes para realmente ter desempenho, fico feliz em fazer. Mas temos que trabalhar muito e com uma ideia real do que precisamos para voltar a estar na frente.”

“Se os testes extras serão suficientes, não sei. Mas para mim é muito importante chegar mais perto do resto. A diferença de hoje ainda é muito grande. Claro, hoje não passamos de uma volta de simulação de classificação ou algo assim. Mas ainda estamos muito, muito longe do que queremos. Espero que esses três dias extras na Malásia nos aproximem no Catar.”

Quartararo, no entanto, elogiou o protótipo aerodinâmico que testou e disse que o motor foi um pequeno passo em comparação com o que testou em Misano, embora ainda tenha trabalho a ser feito.

“Moto nova, teve muito trabalho a fazer hoje, principalmente na parte aerodinâmica”, iniciou.

“Acho que demos um passo nesse aspecto, o que é positivo. Mas mudou um pouco o equilíbrio da moto. Não tivemos tempo suficiente para trabalhar nisso porque esta manhã começamos uma hora depois. E acho que temos que ajustar o acerto da moto. Tentamos um novo chassi, mas não deu muito certo. O motor era muito parecido, um pouco melhor, mas só um pouco”.

Trabalhando com o ex-chefe de motores da Fórmula 1, Luca Marmorini, em suas unidades de 2024, Quartararo crê que o técnico esteja começando a fazer bem para o time. “Acho que eles mudaram de mentalidade”.

“Estamos nos aproximando de uma mentalidade europeia, que é o que queremos, tudo desenvolvido mais rápido. Acho que o momento mais importante será de fevereiro a julho. Esses meses serão muito importantes para melhorar a moto, para fazer atualizações super rápidas e este será o momento chave para ver a mentalidade deles”.