MotoGP: Martín e Márquez diferem em opinião de acidente em Valência

O campeonato de 2023 da MotoGP acabou por terminar em um acidente de Jorge Martín, vice-campeão do mundo atrás de Francesco Bagnaia, e Marc Márquez – em sua despedida da Repsol Honda.

Depois da prova, Martín se eximiu de culpa, dizendo que Márquez não o deixou passar quando tinha a moto ao lado de sua Honda.

“A estratégia era chegar ao primeiro lugar o mais rápido possível e talvez depois tentar fazer uma corrida lenta depois. Achei que era muito cedo para estar na primeira posição naquele momento, então esperei um pouco. Mas o problema foi que fui sugado pelo seu turbilhão e quase o acertei,” disse Martin ao site da MotoGP.

“Aí fiquei muito atrás e tentei recuperar posições. Era o mais rápido naquele momento na pista. Depois, comecei a lutar com Maverick Viñales. Não entendi por que ele estava me ultrapassando, porque ele sabia que eu estava brigando por um campeonato, então não fazia sentido. Mas é o que é.”

“Com Marc, quero dizer, não há nada que eu possa fazer. Ele viu que eu estava lá dentro e então soltou os freios. Não estou dizendo que a culpa é dele, mas também não é minha. Uma situação de corrida. Então, espero falar com ele em breve, sinto que preciso e podemos resolver esse problema.”

Marc Márquez disse que Martín lhe pediu desculpas, e crê que a culpa tenha sido inteiramente do compatriota.

“Não foi o melhor final com a Honda, mas honestamente vim para o fim de semana como se estivesse lutando pelo mundial. Estava super concentrado, tentei encontrar o melhor”, disse Márquez ao site da MotoGP.

“No sábado alcançamos o pódio e no domingo, tudo bem, não foi um erro nosso, porque talvez o Martin estivesse muito otimista naquela ultrapassagem na curva 4. Mas não vou pressioná-lo. Eu entendo completamente a mentalidade dele. Ele estava totalmente ofensivo, estava lutando pelo campeonato e como piloto não vou reclamar.”

“Eu sei que ele sabe que cometeu um erro. Mas tudo bem, é aceitável porque ele estava lutando por um campeonato. O pódio era possível porque o ritmo estava lá, mas a festa foi a mesma na garagem depois. É verdade que fiquei um pouco tonto… foi um grande highside.”