Uma análise das principais marcas de pneus utilizadas pelas equipes de F1

Na Fórmula 1, os pneus são uma parte essencial do desempenho do carro. A aderência, a tração e o desempenho de cada carro dependem de seus pneus.

Até 2006, o pneu Michelin era um dos mais usados na F1 e, de fato, esteve presente em várias vitórias, mas desde então a marca líder mundial decidiu parar de participar do esporte.

Desde então, os pneus Pirelli se tornaram os únicos pneus da F1, desenvolvendo um novo design e sistema de pneus para proporcionar resultados cada vez melhores.

A evolução dos pneus na Fórmula 1
Os pneus de F1 evoluíram ao longo do tempo. Desde 1950, quando foi disputada a primeira corrida de Fórmula 1, até os dias atuais, o design e os materiais dos pneus mudaram.

É preciso observar que esses pneus não são semelhantes aos usados em carros urbanos, pois a aderência e a tração que eles devem oferecer são muito superiores, devido às condições do terreno e à velocidade que atingem.

Os carros de Fórmula 1 atingem velocidades muito mais altas do que os carros comuns, portanto, seus pneus têm de suportar mais transmissão de tensão nas curvas e durante toda a viagem.

Uma das mudanças mais significativas nos pneus de F1 foi introduzida pela Pirelli em 2022. Foi um aumento no tamanho dos pneus, que permanece em vigor até hoje.

Até 2022, os pneus da Fórmula 1 ofereciam um diâmetro de 13 polegadas, mas a partir daquele ano o diâmetro do pneu foi aumentado para 18 polegadas. Embora os pilotos tenham inicialmente expressado sua insatisfação com essa mudança, eles rapidamente se acostumaram com esses ajustes.

Por outro lado, a largura do pneu permaneceu inalterada desde 1950: todos os pneus medem 305 mm no eixo dianteiro e 405 mm no eixo traseiro.

Outra mudança significativa introduzida pela marca Pirelli, atualmente a única empresa presente nos pneus de F1, foi a variação nos compostos usados para produzi-los. Hoje, a Pirelli se dedica à fabricação de pneus mais resistentes e duráveis, criados com magnésio e uma liga de alumínio.

Como os pneus influenciam o desempenho das equipes
Como mencionado anteriormente, os pneus são um fator fundamental na Fórmula 1 para o desempenho dos pilotos. Aqui estão alguns dos aspectos mais importantes que os pneus influenciam.

Aderência
Um dos aspectos mais importantes que os pneus influenciam é a aderência e a tração do carro. Graças à invenção da Pirelli de fabricar pneus maiores, a aderência é maior, o que permite acelerar, frear e fazer curvas com mais conforto e segurança.

Velocidade
Os pneus também ajudam a atingir velocidades mais altas e proporcionam melhor desempenho do carro. Embora não se possa esperar que os pneus maiores dos pneus atuais contribuam para o aumento da velocidade, esse não é o caso.

Apesar de serem pneus de diâmetro maior, a Pirelli também introduziu uma nova combinação de materiais na fabricação desses produtos que ajuda a torná-los mais leves e resistentes, contribuindo para o aumento da velocidade e, ao mesmo tempo, melhorando o desempenho geral do carro.

Segurança
Um aspecto fundamental no qual os pneus de F1 também desempenham um papel é a segurança. O esporte envolve um alto nível de risco em velocidades que frequentemente ultrapassam 300 km/h. No entanto, graças aos desenvolvimentos na tecnologia de fabricação de pneus, os riscos estão sendo cada vez mais minimizados.

O desenvolvimento de pneus com combinações de diferentes elementos resistentes, como liga de alumínio e magnésio, resulta em maior segurança do veículo, pois os pneus têm menor probabilidade de serem danificados durante as corridas.

Uma análise das principais marcas de pneus utilizadas pelas equipes de F1

Os desafios e estratégias na escolha dos pneus em corridas de F1
Assim como na escolha de pneus para carros comuns, na Fórmula 1 também há diferentes aspectos a serem considerados ao escolher os pneus ideais para cada caso.

Atualmente, o único fabricante de pneus de F1 é a Pirelli e, até o momento, ela oferece 7 tipos diferentes de pneus, 5 para uso em superfícies secas e 2 para uso em superfícies molhadas.

Os pneus destinados ao uso em superfícies secas são classificados de acordo com suas características e são denominados C1, C2, C3, C4 e C5. Os pneus para piso molhado, por outro lado, são classificados como intermédios e full wet.

Os pneus para piso molhado estão sempre disponíveis em cada Grande Prêmio, pois serão instalados em caso de chuva, enquanto 3 modelos de pneus para piso seco devem ser escolhidos para estarem disponíveis em cada Grande Prêmio.

Pneus para pista seca
Os pneus para pistas secas são divididos de acordo com sua dureza e desempenho e são escolhidos de acordo com o tipo de pista em que serão usados e com o estilo de direção do motorista.

Os pneus mais brancos são os modelos C4 e C5, os mais duros são os C1 e C2, e os pneus intermédios são os modelos C3. Os modelos mais macios são usados em situações de baixa agressividade de pilotagem, enquanto os modelos mais duros são escolhidos para circuitos de alta complexidade.

Pneus para pista molhada
No caso dos pneus para piso molhado, há duas opções diferentes para escolher, ambas especialmente projetadas para proporcionar melhor aderência de acordo com a quantidade de água na pista.

Os pneus intermediários para piso molhado são usados em clima úmido quando há chuva fraca, o que deixa a pista molhada. Porém, se a chuva for forte ou a pista tiver uma camada alta de água, serão necessários pneus full wet ou extreme wet.

Cores
Os diferentes tipos de pneus podem ser diferenciados por suas cores. Os modelos mais duros são brancos, os modelos duros intermediários são amarelos e os modelos mais macios são vermelhos.

Além disso, os pneus projetados para superfícies molhadas são verdes, enquanto os pneus projetados para chuva extrema são azuis.

Os pneus são uma parte fundamental das corridas de Fórmula 1, pois o desempenho do carro depende deles. É claro que não depende apenas deles, mas eles são essenciais para alcançar os resultados desejados.