Red Bull e Honda, uma parceria de sucesso na F1

A equipe Red Bull, sob a liderança de Christian Horner, alcançou um marco notável na Fórmula 1, superando os gloriosos anos da McLaren com a Honda nas décadas de 1980 e 1990. A parceria McLaren-Honda conquistou quatro Campeonatos de Construtores entre 1988 e 1991, além de quatro Campeonatos de Pilotos com Ayrton Senna e Alan Prost.

Em comparação, a Red Bull alcançou 21 vitórias em 22 corridas, elevando o recorde de vitórias para impressionantes 95,5%, ultrapassando os 93,8% da famosa McLaren MP4/4 em 1988. “Desde nossa primeira corrida em 2019, onde conquistamos um pódio na estreia e depois três vitórias, agora alcançamos mais vitórias para a Honda do que a McLaren em seus dias áureos”, declarou Horner em entrevista à RacingNews365 e outros veículos.

Horner destacou Max Verstappen como o piloto mais vitorioso da Honda e enfatizou a importância da parceria para os recentes sucessos da equipe. A decisão de trocar os motores Renault pelos Honda em 2019 foi vista como um risco, especialmente após a tumultuada relação da Honda com a McLaren entre 2015 e 2016.

Após o colapso da parceria com a Renault, a Red Bull optou por se tornar uma equipe Honda, inicialmente testando os motores na Toro Rosso. “McLaren rejeitou a Honda, Sauber desistiu de um acordo com eles, então, estrategicamente, colocamos a Honda na Toro Rosso, o que nos deu a capacidade de avaliar em relação ao nosso parceiro atual”, explicou Horner. “Houve um ponto de decisão em junho de 2018, onde tivemos que escolher. Com base no compromisso, no espírito e nos recursos que a Honda estava aplicando, ficou claro para nós que o caminho da Honda era o certo a seguir”.

Esta estratégica aliança entre a Red Bull e a Honda redefiniu o panorama da Fórmula 1, provando que a ousadia e a inovação podem levar a resultados extraordinários no esporte.