Liberty Media não planeja negociar pacotes de mídia conjuntos de F1 e MotoGP

Apesar da aquisição da Dorna Sports e da MotoGP pelo grupo Liberty Media, dono da Fórmula 1, a empresa descartou a possibilidade de negociar pacotes de televisão unificados para os dois campeonatos.

O CEO da Liberty, Greg Maffei, citou questões regulatórias e a estrutura atual dos acordos com parceiros e equipes da F1, como principais entraves para a negociação conjunta.

“Não vamos negociar MotoGP e Fórmula 1 juntos. Isso se deve a questões regulatórias e também à estrutura do nosso acordo com os parceiros e equipes da F1”, afirmou Maffei.

Apesar disso, o executivo se mostrou confiante na capacidade da Liberty de atrair novos parceiros de mídia para a MotoGP. “Acredito que a Liberty tem conhecimento sobre como o mercado de mídia está evoluindo e como tornar o produto atraente para parceiros além das bases tradicionais da Itália, Espanha e França. Queremos ajudar a crescer em outros mercados”, disse ele.

Durante a coletiva com investidores, Maffei se declarou ‘muito confiante’ de que a aquisição da MotoGP será aprovada pelos órgãos reguladores antitruste.

Por fim, o CEO da Liberty destacou o sucesso da empresa na expansão da popularidade da Fórmula 1 desde 2016, e sugeriu que estratégias semelhantes serão utilizadas para a MotoGP.

“Para o crescimento da base de fãs, aponto para várias coisas. Tivemos sucesso com a Netflix, mas também expandimos a F1 nas redes sociais, levamos pilotos para interagir com fãs no Twitch e em zonas de experiência. Queremos expor a MotoGP para um público mais amplo, assim como fizemos com a F1”, encerrou Maffei.

Vale lembrar que a aquisição da Liberty, foi de 86% da propriedade da Dorna Sports e da MotoGP, em um negócio de grande sucesso no valor de 4,2 mil milhões de euros. A confirmação da aquisição pela União Europeia deve ser aprovada até o final de 2024, mas aparentemente, todos os envolvidos já consideram a transação como garantida.