F1: Wolff explica decisão da Mercedes em não trocar posições

Toto Wolff, chefe da Mercedes, esclareceu porque sua equipe se recusou a atender ao pedido de George Russell, para recuperar a posição perdida para Lewis Hamilton, no GP da Emília-Romanha de Fórmula 1 em Ímola. A decisão parece ter sido motivada pela prioridade dada a Hamilton, que segue para a Ferrari na próxima temporada.

Russell parou nos boxes e conquistou o ponto extra pela volta mais rápida, mas a Mercedes negou a sua solicitação de voltar à frente de Hamilton.

“Considero o ponto da volta mais rápida um bônus. Porém, os tempos estavam caindo porque forçamos a parada cedo, e havia o risco de perder a posição para Sergio Perez algumas voltas depois. Naquele momento, superar um carro da Red Bull era a única vantagem estratégica. A vida útil dos pneus na volta 57 já estava comprometida, e foi por isso que tomamos essa decisão”, afirmou Wolff à imprensa.

Wolff esclareceu ainda para a Sky Sports, o principal motivo para não permitir a troca de posição: “Lewis provavelmente o teria ultrapassado de qualquer maneira. Estávamos brigando por P6 e P7, e precisávamos segurar a Red Bull atrás. Foi uma questão de segurança”, concluiu.

O F1MANIA.NET acompanha ‘in loco’ todas as atividades do GP da Emília-Romanha, diretamente de Ímola, com o jornalista Rodrigo França.