F1: Wolff chama Masi de “idiota” e rejeita sua volta como diretor de corridas

O chefe da Mercedes, Toto Wolff, deixou claro que não receberia Michael Masi de volta ao cargo de diretor de provas da FIA na Fórmula 1, rotulando-o como ‘idiota’ por tomar a decisão errada no GP de Abu Dhabi em 2021.

No auge de uma das disputas pelo título mais intensas já vistas na F1, Lewis Hamilton e Max Verstappen entraram na última corrida da temporada de 2021 empatados com 369,5 pontos. Isso preparou o cenário para um confronto pelo título, no qual Masi, então diretor de prova da F1, tinha a responsabilidade de garantir que as regras fossem seguidas.

Embora Hamilton estivesse aparentemente a caminho de seu oitavo título na F1, depois de abrir uma vantagem imensa sobre Verstappen que não conseguia alcançar o britânico, durante um Safety Car próximo do final da corrida, Masi tomou a polêmica decisão de permitir que apenas os carros retardatários entre o líder da corrida, Hamilton e o segundo colocado, Verstappen, ultrapassassem para recuperar suas posições, algo totalmente fora do regulamento da categoria, que nesse caso, prevê que todos os carros com voltas em desvantagem, ultrapassem os ponteiros. Isso significou que o holandês ficou imediatamente atrás de Hamilton, mas sem ser ameaçado pelo terceiro colocado na prova (Carlos Sainz da Ferrari), que ficou com carros retardatários entre ele e Verstppen e portanto sem condições de atacar o piloto da Red Bull, isso quando restava tempo apenas para uma última volta na corrida.

Verstappen, com pneus muito mais novos do que Hamilton, ultrapassou facilmente o piloto da Mercedes na curva 5 para conquistar a vitória na corrida e seu primeiro título na F1. Hamilton, a Mercedes, a grande maioria das equipes da F1, e praticamente toda a imprensa, consideraram que o resultado daquela corrida havia sido ‘manipulado’.

Três meses depois do ocorrido, Masi perdeu seu cargo e foi despedido pela FIA, porém o presidente da FIA, Mohammed Ben Sulayem, recentemente afirmou que abriria a porta para um eventual retorno do australiano à F1.

“Se eu ver que há uma oportunidade de que a FIA precisa, e Michael Masi seja a pessoa certa, eu o trarei de volta”, disse Sulayem ao PA Sport no mês passado.

No entanto, Wolff e a Mercedes, sem dúvida, não oferecerão uma festa de boas-vindas.

“Temos cicatrizes brutais! Cicatrizes incríveis e nunca superaremos isso, de certa forma”, disse Wolff ao Motorsport.com. “Elas se tornaram cicatrizes, e há momentos em que você pensa: ‘Como isso pôde acontecer?’ Nós sabemos como aconteceu. Mas eu não quero perder um minuto pensando sobre os motivos pelos quais aconteceu, porque isso daria crédito demais ao sujeito. Ele é apenas um idiota que tomou a decisão errada”, encerrou o chefe da Mercedes.