F1: Wolff afirma que equilíbrio geral do carro ajudou na recuperação da Mercedes

Toto Wolff, chefe da Mercedes, negou que a tão comentada ‘asa dianteira mágica’, seja a única responsável pelo recente renascimento da equipe na Fórmula 1.

A equipe alemã enfrentou um início turbulento na atual temporada, lutando para otimizar o carro W15 inconsistente em diferentes velocidades de curva. No entanto, a Mercedes iniciou um plano de desenvolvimento agressivo que culminou em uma reviravolta, resultando em vitórias consecutivas na Áustria e na Inglaterra, com George Russell e Lewis Hamilton, respectivamente.

Hamilton encerrou sua longa espera desde dezembro de 2021 para conquistar sua nona vitória em Silverstone, em um fim de semana onde a Mercedes também garantiu a primeira fila no grid de largada após a pole position de Russell, seguido por Hamilton.

Wolff afirmou que estava preocupado com a possibilidade da Mercedes enfrentar outra temporada terrível com os carros de efeito solo atuais, até o recente avanço da equipe. “Se você pensar que cinco corridas atrás não éramos nem candidatos ao pódio, o que parecia ser o terceiro ano de baixo desempenho, e então algo se encaixou”, disse Wolff.

“De repente, tudo o que não fazia sentido, começou a fazer, e a direção do desenvolvimento está encontrando desempenho. Estamos colocando isso no carro, e se traduz em tempo de volta, o que não aconteceu nos últimos dois anos”, disse ele.

Embora o retorno da Mercedes à briga pelo topo tenha sido creditado a uma asa dianteira revisada introduzida em Mônaco, Wolff afirma que existem outros fatores.

“Houve um momento em que, liderados por James Allison (Diretor Técnico da Mercedes), de repente os dados fizeram sentido”, disse Wolff. “E a diferença, a maneira como equilibramos o carro e como poderíamos colocá-lo em um ponto ideal. Essa foi a principal questão. Não foi uma asa dianteira milagrosa, foi mais o equilíbrio que alcançamos.”

Wolff disse também que a Mercedes terá ainda mais atualizações para as duas últimas etapas antes das férias da categoria, na tentativa de manter esse impulso. No entanto, o austríaco alertou que a equipe de Brackley não pode se acomodar, apesar de Silverstone mostrar que o W15 atualizado agora pode vencer corridas por mérito.

“Há mais por vir em termos de performance. Estamos trazendo atualizações para Budapeste e Spa”, afirmou. “Mas por outro lado, não podemos nos empolgar. Tivemos uma vitória na semana passada, nos beneficiando do toque entre Max Verstappen e Lando Norris na Áustria, mas hoje (domingo na Inglaterra) tivemos uma vitória honesta. Tínhamos o ritmo real, você podia ver George e Lewis na liderança, e então, em quase todas as condições, estávamos lá”, completou Wolff.