F1: Villeneuve diz que Ferrari pode se arrepender de dispensar Sainz

O ex-piloto de Fórmula 1, Jacques Villeneuve, acredita que a Ferrari cometeu um erro ao liberar Carlos Sainz. O canadense, campeão na F1 em 1997, é crítico em relação a decisão da equipe italiana e afirmou que eles ‘devem estar se perguntando o que fizeram’. Sainz, que venceu três corridas pela Ferrari, ainda não confirmou sua equipe para 2025.

Villeneuve, que acompanhou de perto a carreira do pai Gilles Villeneuve na F1, enxerga dois grupos dentro da Ferrari, o que pode gerar problemas no futuro.

“Sainz respondeu muito bem depois de ser basicamente expulso da Ferrari”, disse Villeneuve. “Ele não está lá para ser o número dois de (Charles) Leclerc. Ele quer mostrar seu talento para o mundo. Ele se colocou em evidência. É o único que vence por eles. Seu valor deve ter disparado nos últimos três anos.”

Sainz é um dos pilotos mais impressionantes de 2024. Apesar de ter perdido a corrida na Arábia Saudita devido a uma crise de apendicite, está apenas sete pontos atrás do companheiro Charles Leclerc. O espanhol liderou a dobradinha da Ferrari em Melbourne e é o único piloto fora da Red Bull a vencer desde novembro de 2022.

“Ele sempre supera as expectativas. Certamente está superando Leclerc. As pessoas estão percebendo que ele é um piloto sério. É maduro, dedicado, inteligente e trabalha duro, o que faz a diferença. Talento sozinho não basta”, acrescentou.

Para Villeneuve, a Ferrari errou ao optar por Lewis Hamilton ao invés de manter Sainz. “Existem duas correntes na Ferrari. Uma queria Hamilton e a outra queria manter Leclerc. Sainz acabou sendo o sacrifício. Ironicamente, ele provavelmente sairá para uma situação melhor. Devem estar se arrependendo”, finalizou o canadense.