F1: Verstappen questiona regras e defende ajustes nas corridas Sprint

A desclassificação de Lewis Hamilton e Charles Leclerc no GP dos EUA em 2023, devido a desgaste excessivo da placa do assoalho, reacendeu o debate sobre algumas regras da Fórmula 1, especialmente no formato das corridas Sprint. Max Verstappen, se posicionou de forma crítica e defendeu uma revisão do regulamento diante dos problemas enfrentados em Austin.

Os pilotos da Mercedes e da Ferrari precisaram mudar o ajuste de seus carros, depois de detectar um potencial problema nos respectivos assoalhos, causado por uma combinação de fatores relacionados ao formato Sprint. Com o ‘Parque Fechado’ em vigor a partir da sessão de classificação, que proíbe alterações técnicas nos carros, Hamilton e Leclerc tiveram que arriscar correr com o problema, levando à desclassificação e consequente frustração para ambos.

Para Verstappen, essa situação aponta para uma falha no atual sistema. “Se você erra minimamente o acerto no TL1, fica preso com ele durante todo o final de semana que tenha o formato Sprint. Isso é péssimo”, afirmou em entrevista à AMS. “Tivemos boas corridas Sprint este ano, mas Austin deixou a desejar. A Mercedes e a Ferrari não abaixaram a altura de propósito, mas se você toma a decisão errada (no acerto do carro), não há como voltar”, acrescentou.

O holandês propôs ajustes ao formato, incluindo a implementação de dois ‘Parques Fechados’ distintos: um para sábado e outro para domingo. Ele também se mostrou reticente em relação à ideia de qualificação em volta única para as corridas Sprint, defendendo a manutenção do formato atual: “O atual já é complicado, com a obrigatoriedade de usar pneus médio-médio-macio. É difícil escolher entre uma, duas voltas rápidas ou até mesmo incluir uma de resfriamento. Até eu me confundo com as regras, parece um circo”, concluiu.

A declaração de Verstappen revela o descontentamento de parte dos pilotos com as complexidades do atual regulamento da F1, especialmente nas corridas Sprint. A FIA, responsável pela F1, prometeu avaliar as críticas e considerar possíveis mudanças para a temporada de 2024, tentando buscar um maior equilíbrio.