F1: Verstappen critica comentários do CEO da McLaren

Max Verstappen criticou os comentários do CEO da McLaren, Zak Brown, que sugeriu uma saída em massa de funcionários da Red Bull após o anúncio da saída de Adrian Newey em 2025.

Brown afirmou que a McLaren recebeu um aumento no número de currículos de pessoas ligadas à Red Bull, em meio à disputa de poder envolvendo o chefe Christian Horner.

Toto Wolff, chefe da Mercedes, alimentou a polêmica ao concordar com as palavras de Brown. Em resposta, Horner citou a contratação de 220 funcionários da Mercedes pela Red Bull.

Verstappen acredita que Brown, cuja McLaren venceu a Red Bull e o próprio holandês no GP de Miami de Fórmula 1, está tentando desestabilizar a atual equipe campeã.

“É óbvio que ele quer causar confusão. Como equipe, não podemos fazer nada com comentários do tipo”, disse Verstappen ao Motorsport.com. “Do ponto de vista dele, eu entendo, porque todos estão tentando atrair nossos funcionários, o que é completamente normal na Fórmula 1. Mas eu também não estou interessado nessas coisas. Vejo as manchetes, mas nem clico nelas.”

Verstappen sugeriu que outros membros seniores da Red Bull possuem contratos longos, em meio ao anúncio da saída de Newey no próximo ano. No entanto, o holandês, com contrato com a Red Bull até 2028, admite que a permanência de peças-chave depende da satisfação desses indivíduos.

“Na vida, você nunca pode garantir tudo. Também é possível que eu não acorde amanhã, então no final nunca se sabe as coisas 100% ao certo. Muitos acordos são feitos, mas no final do dia também é sobre todos estarem felizes com o trabalho e se sentirem valorizados dentro da equipe. Existem muitos aspectos humanos envolvidos também”, finalizou o holandês.