F1: Verstappen comenta saída de mecânico-chefe da Red Bull

O GP do Japão de Fórmula 1 será o primeiro em que Lee Stevenson não estará no box da Red Bull. O agora ex-chefe de mecânicos da equipe austríaca, se transferiu para a Sauber (Stake F1 Team), que se tornará Audi em 2026. Max Verstappen comentou a saída de Stevenson após a sessão de classificação.

Stevenson trabalhou na Red Bull Racing por 18 anos. Foi o mecânico-chefe de Verstappen por várias temporadas, tornando-se chefe de mecânicos da equipe de suporte em 2020. Em 2023, assumiu o cargo principal da equipe, como mecânico-chefe geral.

Durante sua passagem pela Red Bull, Stevenson colecionou sucessos. Juntamente com a equipe, viu Sebastian Vettel e Max Verstappen conquistarem sete campeonatos de pilotos e seis títulos de construtores.

“Tenho um ótimo relacionamento com Lee desde que cheguei à Red Bull em 2016. Ele foi meu mecânico número um até o fim de 2020, se não me engano. Já faz um tempo. Tivemos ótimos anos juntos, depois ele assumiu uma função mais voltada à fábrica. Então, voltou para a pista e dividiu as funções de chefe de mecânicos”, disse Verstappen.

O piloto holandês continuou: “Ele recebeu uma grande oportunidade na Sauber, e não o culpo por tentar algo novo. Compartilhamos muitos momentos fantásticos, e às vezes, surgem chances na vida para sair da zona de conforto, experimentar algo diferente. Se não der certo, sempre há como voltar”, encerrou o piloto holandês.