F1: Vasseur comenta “altos e baixos” de várias equipes na temporada 2023

Frederic Vasseur, chefe da Ferrari, detalhou a linha tênue que separou o ‘sucesso do desastre’ durante a temporada 2023 da Fórmula 1 para sua equipe.

Enquanto a Red Bull dominava, o pelotão perseguidor estava próximo, com Mercedes, Ferrari, McLaren e Aston Martin lutando pelo melhor do resto, em qualquer final de semana de GP.

As flutuações de desempenho entre as equipes foram grandes, devido a pacotes de atualizações consideráveis e algumas equipes ficando para trás na corrida pelo desenvolvimento, enquanto a Ferrari transformava seu SF-23 para melhor, principalmente na parte final do ano.

O carro enfrentou dificuldades no início da temporada, mas após as férias no meio do ano, se mostrou uma máquina de qualificação capaz, com Carlos Sainz conquistando vitórias em Singapura.

Apesar disso, não foi o suficiente para a Ferrari alcançar a Mercedes na disputa pelo segundo lugar entre os construtores. Vasseur destacou a diferença que uma configuração ruim ou uma pista complicada poderia fazer para a sorte de uma equipe em um fim de semana.

“Tivemos diferentes momentos durante a temporada”, disse Vasseur à imprensa. “É verdade que Carlos foi muito, muito forte após as férias, e Charles estava voando nas últimas seis ou sete corridas, mas acho que, no geral, a evolução que tivemos na equipe foi positiva.”

“Não devemos lembrar de corridas como Abu Dhabi para Carlos. Ele venceu em Singapura, também estava na pole em Monza. Durante toda a temporada, é verdade que para cada equipe, exceto Max (Verstappen), todos tiveram momentos difíceis, e foi muito equilibrado. Às vezes, por gostar da pista ou por sua configuração do carro se adequar à pista, você pode ir da terceira fila para a 10ª posição, e isso é um desastre, mas significa que precisamos manter nossa abordagem”, concluiu Vasseur.