F1: Toto Wolff desafia teoria de espera até 2026 na Mercedes

Toto Wolff reforça a determinação da Mercedes em desafiar a dominância da Red Bull antes do reset regulatório

Toto Wolff, chefe da equipe Mercedes, rejeitou firmemente a ideia de que a equipe precisa esperar até o reset regulatório de 2026 para competir novamente por títulos, estabelecendo um “objetivo claro” de fazê-lo antes disso. Durante a era V6 turbo-híbrida, a Mercedes foi uma força dominante, conquistando oito títulos consecutivos de Construtores entre 2014 e 2021, além de sete títulos de Pilotos no mesmo período. No entanto, atualmente é a Red Bull que define o padrão, com uma performance dominante em 2023, vencendo 21 dos 22 grandes prêmios, sendo 19 vitórias de Max Verstappen.

Apesar do domínio da dupla Verstappen-Red Bull e da estabilidade regulatória até 2026, Wolff, que é um dos proprietários da Mercedes, deixou claro que não acredita que a equipe precise esperar até 2026 para experimentar a glória do título novamente. “Não quero desistir da recuperação e dizer, ‘bem, vamos esperar por 2026, carro novo, motor novo,'” ele disse à Motorsport.com. “Há dois anos mais importantes pela frente. Quero ver isso como um testemunho das forças da equipe que somos capazes de nos recuperar e competir por campeonatos. Esse é nosso objetivo claro.”

Wolff reconheceu que, apesar de não aceitar que a Mercedes precise esperar até 2026 para desafiar os títulos novamente, as probabilidades podem não estar a seu favor. O desafio é criar um carro que dê confiança aos pilotos, algo que não foi alcançado com o W14.

Contudo, o avanço da Aston Martin no inverno antes da temporada de 2023 e o programa de atualização extremamente bem-sucedido da McLaren para o MCL60 mostraram que ainda é muito possível desbloquear uma grande quantidade de desempenho. “Olhando para as probabilidades, muito difícil,” admitiu Wolff. “Olhando para o desempenho de outras equipes, como a Aston Martin progrediu durante o inverno, a McLaren recuperou um segundo com uma atualização que esperavam ser de 0,25 segundos… Há um ponto ideal que você precisa encontrar e que desbloqueia mais potencial.”

Wolff acrescentou que o maior contribuinte é que os pilotos comecem a ter um carro em que possam confiar, o que atualmente não acontece. Tanto Lewis Hamilton quanto George Russell estão comprometidos com a recuperação da Mercedes, assinando novos contratos durante a temporada de F1 de 2023 para permanecerem na equipe até o final de 2025.