F1: Segundo Wolff, algumas equipes estão em “desvantagem” no campo das novas unidades de potência

Toto Wolff, chefe da Mercedes, acredita que algumas equipes possam se dar melhor do que outras quando se trata do desenvolvimento das novas unidades de potência para 2026. Essa crença pode estar ligada aos pedidos para que as regulamentações de chassi e UP sejam revistas

“No lado da unidade de potência, o navio já zarpou,” disse Wolff. “Há equipes que sentem que estão em desvantagem, e há outras equipes e fabricantes que sentem que fizeram um bom trabalho. Esse é o tipo normal de disputa sobre regulamentos. Acho que no lado do chassis há ajustes que são possíveis de fazer. Mas, no lado do motor, o processo já está muito avançado.”

Uma das reclamações partiu de Andrea Stella, chefe de equipe da McLaren, que disse: “Ainda acho que a maneira como as unidades de potência estão planejadas para serem usadas precisa ser ajustada.”

Em contrapartida, o diretor de monopostos da FIA, Nikolas Tombazis, afirmou que “se houver alguns ajustes necessários, estou bastante confiante de que os fabricantes de unidades de potência ajudariam e seriam colaborativos aqui,” disse.

Os comentários de Wolff vem de um lugar de confiança por parte da Mercedes, que tem sito otimista em relação as novas mudanças e como consequência, uma possível melhora no desempenho da equipe a partir de 2026. Assim como Wolff, Russell também expressa esperança. Em Mônaco, o piloto afirmou que “a equipe está se sentindo muito confiante para esta era,” e que está “em um ótimo lugar para ter um ótimo motor.”