F1: Segundo relatos, alguns chefes de equipe já teriam reclamado de Wolff à FIA

Após o anúncio de que a FIA está investigando alegações de que informações confidenciais teriam sido repassadas a um chefe de equipe na Fórmula 1, Toto Wolff, o PlanetF1.com afirmou ter recebido informações de uma fonte confiável, indicando que vários chefes de equipe da F1 teriam formalizado queixas à FIA sobre Wolff.

Na terça-feira à noite, a FIA divulgou que está fazendo uma investigação em resposta a relatos da revista BusinessF1, que se concentraram em Wolff e sua esposa, Susie. O relatório alegou que Susie, na qualidade de diretora administrativa da F1 Academy (categoria destinada à pilotos femininas), teria compartilhado informações com seu marido, algo que ela negou, e que Wolff deixou escapar algo durante uma reunião recente de chefes de equipe.

Embora a credibilidade da revista BusinessF1 tenha sido frequentemente questionada, a FIA iniciou a investigação não apenas com base na informação da revista, mas também devido a reclamações formais de alguns outros chefes de equipe da F1.

A mesma fonte alega que tanto a F1 quanto a Mercedes receberam cartas legais dos oficiais de conformidade da FIA, ao mesmo tempo em que o comunicado de imprensa foi enviado à mídia. No entanto, a Mercedes negou essa afirmação, alegando não ter recebido tal carta.

Depois do anúncio da investigação, a Mercedes emitiu uma declaração negando veementemente as ‘alegações infundadas de um único veículo de imprensa’. A equipe expressou surpresa por saber da investigação através de um comunicado de imprensa da FIA e solicitou ao órgão regulador, uma comunicação completa, rápida e transparente sobre o assunto.

Em resposta, a FOM também negou qualquer incidente, afirmando: “Temos total confiança de que as alegações estão erradas e temos processos e procedimentos robustos que garantem a segregação de informações e responsabilidades em caso de qualquer conflito de interesse potencial. Advertimos contra a realização de alegações imprudentes e sérias sem substância”, encerra o comunicado da FOM, que estaria envolvida no suposto vazamento de informações confidenciais.